João Pessoa 16/11/2018

Início » Câmara em foco » Após reunião na Câmara, Aguinaldo fala sobre apreciação de projeto de autonomia do Banco Central

Após reunião na Câmara, Aguinaldo fala sobre apreciação de projeto de autonomia do Banco Central

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), declarou nesta quarta-feira (07) após reunião entre os líderes da Câmara que o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, sugeriu que a proposta de autonomia da instituição pudesse ser votada ainda este ano.

De acordo com Aguinaldo, o Brasil, diferentemente do conjunto de cinquenta países mais ricos do mundo ainda não possui a autonomia do seu Banco Central. Diante do pedido de Ilan, Aguinaldo declarou que os líderes em sua maioria foram favoráveis ao avanço da apreciação da matéria, mas que alguns se mostraram contrários.

“Nós temos uma realidade diferente dos cinquenta países mais ricos do mundo que todos tem autonomia do seu Banco Central e nós ainda não temos o que é um tema que vem sendo discutido na Casa e que foi colocado para os líderes a possibilidade de poder avançar nessa discussão. A maioria dos líderes foi favorável no avanço da apreciação, outros foram contrários e hoje se iniciou  esse processo de discussão desse tema que é relevante para dar estabilidade à política monetária do país” disse.

Aguinaldo ressaltou ainda que a proposta visa uma maior proteção contra possíveis interferências políticas que possam afetar o Banco Central.

“A proposta é a de dar um mandato ao presidente do Banco Central e você descasa podemos dizer assim do período eleitoral aí teríamos essa estabilidade na política monetária sem que o processo político interferisse” pontuou.

O deputado declarou ainda que o tempo é curto entre a apreciação da matéria e sua provável votação ainda este ano e que há várias matérias ainda pendentes para serem votadas.

“Vai depender de todos os líderes. Temos um mês e uma semana, praticamente, para apreciarmos todas as matérias que estão na Casa, as medidas provisórias, o Orçamento e a pauta que o presidente eleito deve tratar com o presidente Michel Temer”, concluiu.

ParaíbaJá