João Pessoa 23/05/2018 05:08Hs

Início » Brasil » Conselho de Ética do PMDB decide expulsar a senadora Kátia Abreu

Conselho de Ética do PMDB decide expulsar a senadora Kátia Abreu

Presidente do partido, senador Romero Jucá, afirmou que adotará decisão de imediato. Senadora disse ter sido expulsa por contrariar o governo. Ela tem prazo de dez dias para recorrer da decisão.

Conselho de Ética do PMDB decidiu nesta quinta (23), por unanimidade, expulsar a senadora Kátia Abreu (TO) do partido e cancelar a filiação partidária da senadora.

O senador Romero Jucá, presidente nacional do partido, disse que acatará de imediato a decisão do Conselho de Ética. Ele disse que a medida “demonstra nova fase de posicionamento do partido”.

Em nota, Kátia Abreu afirmou que foi expulsa por adotar posições contrárias às do governo. “Fui expulsa exatamente por não ter feito concessão à ética na política. Fui expulsa por defender posições que desagradam ao governo. Fui expulsa pois ousei dizer não a cargos, privilégios ou regalias do poder”, afirmou a senadora.

A expulsão de Kátia Abreu do PMDB é assunto desde setembro do ano passado, depois que ela votou contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. A senadora foi ministra da Agricultura no governo Dilma e tem feito duras críticas ao governo do presidente Michel Temer, também filiado ao PMDB – ela se posicionou, por exemplo, contra a reforma trabalhista e a reforma da Previdência, consideradas prioritárias pelo governo federal.

O Conselho de Ética entendeu que houve falta de decoro e insurgência contra o partido. Além disso, Kátia Abreu estaria denegrindo a imagem integrantes da legenda, segundo informações da assessoria do partido.

De acordo com a assessoria da senadora, Kátia Abreu está em viagem ao Catar e ainda não se manifestou sobre a decisão. A senadora tem 10 dias para recorrer da decisão.

Em agosto, a Comissão de Ética do partido já tinha decidido pelo afastamento da senadora. Ela é acusada de ter violado o Código de Ética e Fidelidade Partidária e o Estatuto da sigla.

Kátia Abreu nega irregularidades e afirma que o PMDB não propôs nenhum tipo de punição a filiados condenados por crimes graves, como corrupção e formação de quadrilha.

G1