João Pessoa 28/05/2018 05:18Hs

Início » Brasil » ‘Império’: Zé Alfredo dá um ‘boa noite, Cinderela’ em Cora e simula transa

‘Império’: Zé Alfredo dá um ‘boa noite, Cinderela’ em Cora e simula transa

ze_coraJosé Alfredo (Alexandre Nero) vai dar um golpe em Cora (Drica Moraes) para recuperar o seu diamante cor de rosa. Nos próximos capítulos de “Império”, o Comendador vai levar Cora a um hotel disposto a tirar a virgindade dela em troca da pedra preciosa. Só que ao contrário do que ela imagina, o empresário vai lhe dar um “boa noite, Cinderela” para recuperar seu diamante. Sem que ela veja, ele coloca um pó na bebida que oferece a tia de Cristina (Leandra Leal). Ele se deixa beijar por Cora e a leva para a cama. “Me aperta bem, me estrangula com essas suas mãos enormes, que um dia foram de Eliane… faz como fazia com minha irmã porque eu sempre quis estar no lugar dela, desde a primeira vez que te vi eu te desejei, José Alfredo… eu te quis com todas as minhas forças, sonhei esses anos todos com você na minha cama, sendo só meu e eu só sua! Vai, se aproveita, me rasga inteira…”, diz ela.

Zé Alfredo rasga a camisa dela, que solta um gemido de prazer. Cora abre o roupão dele e beija seu peito nu, seu pescoço, seu rosto. Ela chega até a boca dele e roça seus lábios nos dele. “Ai! É o momento mais feliz da minha vida! Minhas pernas chegam a estar… (fraqueja e dá uma risadinha) …bambas! Eu estou… eu estou… me derretendo toda, só pra você… pra você… amor da minha vida!”, fala. Ele se afasta um pouco e sugere que os dois deitem na cama. Cora se ampara nele, visivelmente esquisita… quase desmaiando. Ela sobe em cima de José Alfredo, que permanece inerte e frio. Os dois com os rostos muito próximos… Ela já revirando os olhos. “Agora me beije, me engula, me possua!”, diz. Olhando dentro dos olhos dela, o Comendador diz que ela precisa dormir primeiro. “Não quero dormir, eu quero…”, fala ela, enrolando a língua e já apagando sobre o corpo dele.

Ele respira, aliviado, e com muito cuidado, a tira de sobre seu corpo, fazendo-a se deitar ao lado dele. Ele se levanta, fecha seu roupão e olha pra Cora, com asco: “Nunca. Nunca que eu iria te dar qualquer tipo de prazer… muito menos ser seu… Cobra”. E ele cospe no chão, limpa sua boca e começa a se arrumar. Josué (Roberto Birindelli), que está esperando pelo patrão no lobby do hotel, lembra de uma conversa que teve com Espinoza (Simon Petracchi), em que ele lhe entrega um pó amarelo. “O importante é que a mulher apague… Mas fale… E mais: que, principalmente, responda a todas as perguntas…”, diz Josué. “E que, quando acordar, não se lembre de nada do que aconteceu… E acredite em tudo que lhe contem. Vai ser assim, pode apostar”, completa Espinoza.

O celular de Josué toca e é José Alfredo dizendo que está lhe esperando. Josué entra no quarto e vê Cora. “Pelo visto, a poção do bruxo funcionou bem…”, diz o motorista. “Esse xamã é um verdadeiro gênio. Ela vai dormir até amanhã de manhã. E o sangue, trouxe?”, pergunta o Comendador. Josué tira o vidro do bolso enquanto fala que só conseguiu o de galinha. “Muito apropriado”, fala Zé. Ele pega o vidro de Josué, vai até a cama, destampa, deixa cair algumas gotas sobre o lençol e José Alfredo fala baixinho para Cora: “Pronto, faz de conta que fiz o que você tanto queria, já era!”. Depois, ele se curva sobre ela e a chama com toda autoridade. Ela abre os olhos e responde: “Presente!”. Ele pergunta onde estão os pedaços do diamante cor-de-rosa e ela entrega o serviço: “Lá em casa! No meu quarto… Na cômoda… Na gaveta das calçolas!”. “Então trata de dormir de novo!”, ordena Zé Alfredo. Cora fecha os olhos e José Alfredo vai embora. Ele conversa com Josué, que vai em direção a Santa Teresa. O motorista, então, consegue recuperar a joia do patrão.

Extra