João Pessoa 24/06/2018 07:13Hs

Início » Brasil » Leilão de linha de frequência 4G fica para o 2º semestre, diz Anatel

Leilão de linha de frequência 4G fica para o 2º semestre, diz Anatel

Valor ainda não foi definido

06/04/2016- O uso do telefone celular para acessar a internet ultrapassou o do computador pela primeira vez no Brasil. É o que aponta o Suplemento de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014 divulgado hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mais da metade dos 67 milhões de domicílios brasileiros passaram a ter acesso à internet em 2014 (54,9%). Em 2013, esse percentual era 48%. Mais de 60% dessas casas estavam na área urbana. Foto: Bruno de los Santos/Fotos Públicas

A faixa foi licitada em 2014, mas 1 dos lotes não foi arrematadoBruno de los Santos

O presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Juarez Quadros, afirmou nesta 4ª feira (14.fev.2018), que o leilão da faixa de 700 megahertz (MHz), usada para prestação de serviços móveis em 4G, ficará para o 2º semestre deste ano.

Quadros reuniu-se com o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, nesta tarde para discutir o processo de licitação. O presidente da agência disse que a licença será nacional e pode atrair tanto uma operadora que já atue em todo o país quanto empresas locais.

“É 1 processo demorado, o edital terá que ser submetido à consulta pública. Então, deve acontecer somente no 2º semestre. Ainda não definimos o valor, ainda está sendo modelado”, disse.

A faixa foi licitada em 2014, mas 1 dos lotes não foi arrematado. Na época, a Vivo, Claro e Tim ficaram com outras faixas de 700 MHz. A Claro e a Tim pagaram R$ 1,947 bilhão pelo lote, diferença de 1% em relação ao valor mínimo exigido pelo edital. A Vivo pagou R$ 1,927 bilhão, o valor mínimo.

Além do valor de outorga, as empresas precisam arcar com o custo de “limpeza da rede”. A Oi não participou da disputa por conta de limitações financeiras.

PIRATARIA DE CELULAR

O presidente da Anatel aproveitou a reunião com o secretário da Fazenda para pedir apoio para uma operação nacional contra a entrada de aparelhos piratas no país. O projeto deve ser feito em parceria com a Receita Federal, Correios e Polícia Federal. “Hoje há uma entrada de aparelhos piratas no país, além dos que permitem a clonagem”, disse.

Poder360