João Pessoa 24/06/2018 12:50Hs

Início » Brasil » Mortes violentas e não esclarecidas aumentam no País, diz IBGE

Mortes violentas e não esclarecidas aumentam no País, diz IBGE

Mortes violentas e não esclarecidas aumentam no País, diz IBGEAs mortes violentas cresceram 1,3% no País em 2011, totalizando 11.546 óbitos. O incremento desse dado foi ainda mais forte nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, onde os óbitos violentos aumentaram, respectivamente, 6,9% e 5,5%. Os dados fazem parte das “Estatísticas do Registro Civil 2011”, divulgadas nesta segunda-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nas demais regiões, houve retração no número de mortes violentas. Na Região Norte, a redução chegou a 5,5%. No Sul, a queda foi de 1,7%, e no Sudeste, a variação negativa foi de 0,3%. As mortes violentas incluem homicídios, suicídios e acidentes de trânsito, entre outros.

Ao mesmo tempo, subiu significativamente o número de óbitos classificados como de natureza ignorada. Em todo o Brasil, registros deste tipo cresceram 38,1%. Na Região Norte, por exemplo, onde as mortes violentas caíram, os registros de mortes cuja causa foi ignorada avançaram 101,4%. Na outras regiões, o aumento desse tipo de registro também foi significativo, como no Nordeste (70%), Sul (51,9%), Centro-Oeste (22,6%) e Sudeste (11,9%).

“Apesar de os registros de óbito com natureza ignorada representarem 1,4% do total de óbitos, o crescimento em relação a 2010 foi expressivo, o que é um alerta para cartórios, familiares e estabelecimentos de saúde e demais entidades envolvidas na produção das informações das informações sobre óbitos”, alerta o documento do IBGE.

A maior proporção de mortes violentas foi observada entre pessoas que tinham de 15 a 24 anos, especialmente entre homens. Do total de mortes registradas nessa faixa etária, 63,7% ocorreram em pessoas do sexo masculino. Já entre as mulheres de 15 a 24 anos, 30,5% dos óbitos tiveram causa violenta.

Em Pernambuco, 75,4% das mortes entre homens de 15 a 24 anos foram violentas. No Espírito Santo, essa proporção chegou a 74,3%, seguido por Rio Grande do Norte (71,7%), Mato Grosso (71,3%) e Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul (ambos com 69,9%).

Já entre os óbitos de mulheres de 15 a 24 anos, 43,6% tiveram causa violenta. No Mato Grosso, essa proporção foi de 38,5%. Em Goiás e Mato Grosso do Sul, 37,8% das mortes entre mulheres de 15 a 24 anos foram violentas.

Ao todo, foram registrados 1,140 milhão de óbitos no Brasil em 2011, dos quais 57% entre homens. A maior parcela da população com registro de mortes era da faixa etária dos 80 a 84 anos. Foram 123.212 óbitos entre essa faixa da população.

 

terra