João Pessoa 25/06/2018 02:31Hs

Início » Brasil » Presos da Lava Jato vão dividir banheiro com 100 detentos

Presos da Lava Jato vão dividir banheiro com 100 detentos

A Justiça Federal autorizou a transferência de 12 presos da carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba

carceragem da federalO juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato em primeira instância, autorizou a transferência de 12 presos da carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba para o Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com o secretário de Segurança Pública do Paraná, Fernando Francischini, os novos habitantes do complexo terão o mesmo tratamento dado aos demais detentos do sistema penitenciário do Paraná.

Os 12 presos da Lava Jato, entre eles Adir Assad, Renato Duque e Sérgio Mendes, vão ficar na ala de presos especiais do CMP, ocupada por detentos com curso superior. “A orientação tanto do juiz quanto da Polícia Federal é nenhum centímetro acima e nenhum abaixo do que todo preso recebe”, disse Francischini.

A transferência dos presos deve acontecer no início da manhã desta terça-feira (24). A previsão é que os réus da Lava Jato deixem a carceragem da PF por volta das 8 horas.

Eles vão ocupar quatro celas no CMP, de acordo com Francischini. A divisão, de três presos por cela, será feita pela PF. Cada uma das celas tem três camas e o banheiro é coletivo e será dividido com cerca de 100 presos do CMP.

A alimentação também será igual a de todos os outros presos. “Vão comer o marmitex de todo preso comum do sistema penitenciário e vão usar o mesmo uniforme do preso do sistema penitenciário daquela unidade”, garante Francischini.

Ainda de acordo com a SESP, as quatro celas não têm TVs, mas os presos da Lava Jato poderão negociar a demanda com a diretoria penitenciária. Os presos terão direito a uma hora por dia de banho de sol e a duas horas e meia de visitas coletivas aos finais de semana.

Na decisão que autoriza a transferência, o juiz Sérgio Moro considera que o local garantirá melhores condições para os presos do que na carceragem da Superintendência. O espaço foi vistoriado e considerado adequado pela Polícia Federal.

Moro também afirma que os presos da Lava Jato deveriam ficar “separados da maior parte da população carcerária” porque haveria “algum risco” de sofrerem violência dos outros presos.

Serão transferidos ao CMP o ex-diretor de Serviços e Engenharia da Petrobras, Renato de Souza Duque, os empreiteiros Erton Medeiros Fonseca, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Gerson de Mello Almada, João Ricardo Auler, José Aldemário Pinheiro Filho, José Ricardo Nogueira Breghirolli, Mateus Coutinho de Sá Oliveira e Sergio Cunha Mendes. Além deles, serão transferidos também Adir Assad e Mario Frederido Mendonça Goes.

Opção

Em fevereiro deste ano, o juiz federal Sérgio Moro pediu para que as defesas informassem o interesse dos presos na transferência para o sistema prisional estatual. A consulta ocorreu depois de denúncias sobre más condições da carceragem da Polícia Federal. Na época, nenhum dos presos optou pela transferência e todos continuaram na carceragem.

Gazeta do Povo