João Pessoa 17/07/2018 15:22Hs

Início » Brasil » Senadores convidam embaixador e ministros para explicar espionagem

Senadores convidam embaixador e ministros para explicar espionagem

espionagem2A Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou nesta terça-feira (9) convite de comparecimento ao colegiado de quatro ministros e o embaixador norte-americano em Brasília para prestarem esclarecimentos sobre as denúncias de atos de espionagem dos Estados Unidos no Brasil. As autoridades não são obrigadas a comparecer.

No domingo (7), reportagem do jornal “O Globo” revelou que, na última década, pessoas residentes ou em trânsito no Brasil, assim como empresas instaladas no país, se tornaram alvos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (National Security Agency – NSA, na sigla em inglês). Segundo a reportagem, não há números precisos, mas em janeiro passado o Brasil ficou pouco atrás dos Estados Unidos, que teve 2,3 bilhões de telefonemas e mensagens espionados.

Nesta segunda, em nova reportagem, o jornal revelou que a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) e a Agência Central de Inteligência (CIA) mantinham em Brasília, pelo menos até 2002, uma estação de espionagem para coleta de dados enviados via satélite.

O convite inclui os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, da Defesa, Celso Amorim, das Comunicações, Paulo Bernardo, e do Gabinete de Segurança Institucional, José Elito Carvalho Siqueira. O presidente da comissão, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) agendou para a próxima quinta-feira a audiência pública com as autoridades.

Foi aprovado, ainda, convites para que o embaixador dos Estados Unidos em Brasília, Thomas Shannon, e o jornalista Glenn Greenwald, que recebeu os documentos secretos do ex-agente da CIA Edward Snowden, que vazou documentos do órgão, participem da audiência.

Os presidentes no Brasil das empresas Google, Fábio Coelho, e Facebook, Alexand Hohagen, também receberão convites para participar da audiência. Após a aprovação dos convites, o presidente da comissão informou que as autoridades já estavam sendo contactadas. ” Esperamos o detalhamento das investigações e das conclusões do poder Executivo. Também queremos saber como o país está preparado para este tipo de problema”, disse Ricardo Ferraço. Apoio a Snowden – A Comissão de Relações Exteriores do Senado também aprovou voto de apoio a concessão de asilo político a Edward Snowden, ex-funcionário de uma empresa que prestava serviço para a inteligência americana que vazou os documentos sobre a espionagem eletrônica e telefônica dos EUA. Ele já teve a concessão de asilo político oferecida por Venezuela, Nicarágua e Bolívia.

Snowden está na Rússia e não pode sair da zona de trânsito do aeroporto de Sheremetievo, já que seu passaporte americano foi revogado pelas autoridades de seu país, e não possui documentos que lhe permitam viajar.

Espionagem investigada – Nesta segunda, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou que a Polícia Federal (PF) investigue as denúncias de que o governo dos Estados Unidos teria monitorado telefonemas e e-mail de brasileiros. De ac

ordo com comunicado divulgado peloministério, Cardozo tomou a iniciativa atendendo a uma solicitação do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

A presidente Dilma Roussef chegou a afirmar, também na segunda, que não concorda com “interferências” de outros países sobre o Brasil, ao comentar as denúncias de espionagem. “Se houver participação de outros países, de outras empresas que não as brasileiras, seguramente é violação de soberania e de direitos humanos. Mas temos que ver sem precipitação, sem pré-julgamento”, declarou.

Da redação com G1