João Pessoa 24/05/2018 11:38Hs

Início » Câmara em foco » Cícero traça panorama político, faz comparações e descarta voltar a disputa

Cícero traça panorama político, faz comparações e descarta voltar a disputa

Ex-governador da Paraíba, ex-senador paraibano, ex-prefeito de João Pessoa, ex-ministro da Saúde. O empresário Cícero Lucena (PSDB) carrega no currículo uma série de experiências conquistadas nas últimas três décadas.

O tucano, que tem evitado falar sobre o cenário atual na política da Paraíba, quebrou o silêncio e relembrou, durante entrevista, nesta sexta-feira (01), ao jornalista Hermes de Luna, um pouco de sua participação na construção da história política da Paraíba.

Na ocasião ele fez um panorama do cenário atual e analisou sobre qual seria a principal diferença da política de ontem para a política do hoje. Para Cícero, o que mudou foi a individualidade que ganhou espaço em detrimento da coletividade.

“Eu acredito, com todo respeito aos que fazem política hoje, que havia um sentimento mais de conjunto, de metas e objetivos na política do passado. Hoje, sem dúvida nenhuma, há um processo de individualização da classe política”, avaliou.

O tucano lembra, por exemplo, quando, ao lado de Ronaldo Cunha Lima (PSDB) governou a Paraíba. Como vice, Cícero destacou que tinha poderes de governador, pois Ronaldo, diferente da realidade de hoje, sabia compartilhar o poder.

“Uma das coisas mais difíceis do ser humano é ter a capacidade de compartilhar e dividir poder e isso Ronaldo foi um mestre. Eu tive a felicidade de entrar na vida pública como vice-governador de Ronaldo, até porque ele me convocou para governar ao lado dele. Naquela época diziam que a Paraíba era um estado privilegiado porque tinha dois governadores, chegando ao ponto de determinado ponto do nosso mandato além de ser vice-governador, ser chefe da Casa Civil do Estado”, ressaltou.

Indagado se poderia voltar à cena política para disputar algum mandato, seja majoritário, seja proporcional, seja estadual, seja municipal, Cícero foi enfático. “Com fé em Deus não”, arrematou.


Márcia Dias

PB Agora