João Pessoa 16/08/2018 11:56Hs

Início » Câmara em foco » Governista desqualifica CGU no caso da Lagoa, mas admite: “Constatado desvio, tem que ser punido”

Governista desqualifica CGU no caso da Lagoa, mas admite: “Constatado desvio, tem que ser punido”

Caixa Econômica voltou a cobrar da PMJP o ressarcimento de R$ 10 milhões referente à obra do Parque Sólon de Lucena

O vereador de João Pessoa João Almeida (Solidariedade) comentou sobre as declarações do deputado Raoni Mendes (DEM) que revelou, nesta quarta-feira (1º), que a Caixa Econômica Federal (CEF) voltou a cobrar o ressarcimento de R$ 10 milhões referente à obra do Parque Sólon de Lucena, a Lagoa. O camarista chegou a desqualificar a atuação da Controladoria-Geral da União (CGU).

“A CGU não decide nada. Quem decide é a justiça. É um assunto que está sendo muito debatido. Eu tenho muita tranquilidade quanto a essa investigação. Acredito muito na PF [Polícia Federal], foi uma investigação muito bem feita. Tudo tem que ser investigado, se tiver indício de irregularidade. Eu, de minha parte, acho que não tem irregularidade nenhuma”, afirmou João Almeida, completando que a obra “incomoda a oposição” e que os políticos devem “parar de fazer política de palanque”.

Segundo Almeida, nada justifica roubo, mas crê que trata-se de um ato maledicente. “É pegar elementos favoráveis de um governo e colocar na catinga sem existir”, disse. “Um montante de ‘X’ já não é ‘X’, é menos ‘X’, menos ‘X’. E quem fiscalizou não fui eu, não foi o prefeito, e nem a oposição. Foi a PF. Então existem relatórios e relatórios. Eu não tenho dúvida nenhuma que isso nada mais é do que uma briga política”, declarou o vereador pessoense.

O vereador da situação ainda disse que logo mais no cenário político ninguém mais fará nada com medo de maledicentes. Ele ainda sugeriu que deve haver uma modernização na forma de se fazer política. “E parar de enxergar no gestor um bandido. Todo mundo é inocente até que se prove o contrário. Se for apurado e constatado o desvio de conduta tem que ser punido, sim”, disse.

Entenda o caso

O deputado estadual Raoni Mendes (DEM) revelou, durante discurso na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), na manhã desta quarta-feira (1), que a Caixa Econômica Federal (CEF) voltou a cobrar o ressarcimento de R$ 10 milhões dos recursos que foram desviados da obra de revitalização do Parque Solon de Lucena, a Lagoa. Em nota oficial, a CEF afirma que a gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) tem até 60 dias para efetuar a devolução deste montante.

A decisão de cobrar a devolução destes recursos acontece após a reavaliação dos valores pela Controladoria-Geral da União (CGU), solicitada pelo Ministério das Cidades, no mês de setembro.