João Pessoa 20/07/2018 10:43Hs

Início » Câmara em foco » Senadores Eunício Oliveira e Jorge Viana são xingados no aeroporto de Dubai

Senadores Eunício Oliveira e Jorge Viana são xingados no aeroporto de Dubai

São “bando de ratos”, diz brasileiro Ofensa foi na sala VIP de aeroporto

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (sentado à esq.), e o senador Jorge Viana foram xingados por brasileiros ao fazer escala no aeroporto de DubaiReprodução

Os senadores Eunício Oliveira (MDB-CE) e Jorge Viana (PT-AC) foram abordados por duas pessoas na sala VIP no aeroporto de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. “Vocês são um bando de ratos, vagabundos”, xingou 1 dos admoestadores.

Eunício e Viana viajaram ao Japão nesta semana. O momento das ofensas foi numa escala do voo, em Dubai.

Não está claro qual foi a data exata do episódio, embora o vídeo tenha circulado neste sábado cedo (14.abr.2018) em grupos de Whatsapp. O Poder360 recebeu uma cópia.

Os xingamentos são 1 pouco desconexos. Uma pessoa de bermuda fala: “Esse aqui é o tal de Jorge Viana, do PT. O sr. foi contra a medida [reforma] da Previdência. O PT votou contra”. Aponta então para Eunício e diz que os 2 (Eunício e Viana) votaram a favor, mas não fica claro a respeito do quê.

Em seguida, o homem de bermuda fala que Eunício foi o relator do impeachment de Dilma Rousseff, em 2016 – o que de fato ocorreu. Nesse momento, Jorge Viana se levanta para “pegar uma bebida”. É repreendido pelo xingador: “Não, senta aqui. Senta aqui!”. E Viana: “Não, sou vou pegar 1 refrigerante”.

Eu fico triste. O povo acha que vocês estão votando pelos direitos do povo. É que nem eu disse antes. São 1 bando de ratos de vagabundos. E esse tem a cara de pau, esse vagabundo, de me dizer que 90% da política do Congresso está certo (sic). Lá no Brasil, se vocês não roubassem como vocês roubam, o Brasil estaria melhor. Bando de ratos nojentos, seus vagabundos”, disse o homem de bermuda enquanto Eunício escutava, sentado e olhando para seu celular. Outro homem, de camisa listrada emendou: “Nós temos pena daquele Brasil”.

Nesse momento, embaixador Marco Farani, que hoje é responsável pela área de assuntos internacionais do Senado, tenta intervir. Provoca nova reação do home de bermuda: “Vocês roubam, cara. Quantos estão morrendo nos hospitais porque vocês roubaram?”.

OPERAÇÃO TIRA-TEIMA

Pessoas ligadas a Eunício Oliveira foram alvo nesta semana da operação Tira-Teima, da Polícia Federal, que investiga possíveis doações de dinheiro não documentadas ao senador em sua campanha pelo governo do Ceará, em 2014.

A revista Veja publicou 1 vídeo no qual Maurenizia Dias Andrade Alves, empresária de Salvador (BA) e dona do Instituto Campus, “confessou que, a pedido de seu marido, Paulo Alves, recebeu dinheiro sem qualquer prestação de serviço”. O dinheiro teria sido repassado pelas empresas Hypermarcas, JBS e M. Dias Branco –essa última uma grande fabricante de biscoitos e com sede no Ceará.

Independentemente dessas questões referentes à Hypermarcas, o Instituto Campus, em 2014, recebeu também 250 000 da empresa Dias Branco, 250 000 da empresa Corpvs Segurança e mais dois milhões de reais da empresa JBS (…) que não houve, até o momento, nenhuma prestação de serviço para qualquer dessas três empresas acima mencionadas e foram feitas apenas os recebimentos sem os serviços correspondentes. No caso das empresas Dias Branco e Corpvs, houve o recebimento e a emissão das notas fiscais, mas não a formalização de contrato”, afirma Maurenizia Dias em seu depoimento.

OUTRO LADO

No dia da deflagração da Operação Tira-Teima, o presidente do Senado se pronunciou por nota de sua assessoria. Eis a íntegra:

“O senador Eunicio Oliveira, por meio de sua assessoria, informa:
Ele não foi alvo da Operação Tira Teima. Tampouco pessoas ou empresas ligadas a ele foram alvo, ou sequer abordadas, na ação realizada na manhã dessa terça-feira, 10.”

Poder360