João Pessoa 21/06/2018 23:26Hs

Início » Cidades » Aesa prevê mais chuvas e diz que situação é comum no mês de março

Aesa prevê mais chuvas e diz que situação é comum no mês de março

João Pessoa registrou 95,8 milímetros de chuvas nas últimas 24h. Defesa Civil Nacional emitiu alertas de situação moderada para João Pessoa e Campina Grande.

chuva maisApós registro de temporais em praticamente todo o Estado na quinta-feira (5), a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) previu mais chuvas para esta sexta-feira (6), sobretudo nas cidades de João Pessoa e Campina Grande. Segundo informações do órgão, a capital teve nas últimas 24 horas precipitações pluviométricas de 95,8 milímetros, enquanto em Campina foram registrados 73 milímetros.

Em João Pessoa, os bairros que registraram as maiores precipitações foram Grotão, com 87 milímetros; Centro, com 75 milímetros; e Mangabeira, com 56,9 milímetros. De acordo com a meteorologista da Aesa, Marle Bandeira, por março ser considerado o mês mais chuvoso do ano, é normal que aconteçam fortes temporais.

“Temos também um fenômeno chamado de vórtice ciclônico de altos níveis. Esse sistema é responsável por toda instabilidade de ontem e atua nesta época do ano”, acrescentou. “A alta umidade e as altas temperaturas ajudaram a tornar as chuvas e os ventos ainda mais fortes”, continuou.

Conforme o coordenador da Defesa Civil de João Pessoa, Noé Estrela, um alerta de situação moderada de chuvas para a capital foi emitido por Brasília. “Quando eles transmitem esse alerta, comunicamos todos os secretários da prefeitura para que fiquem de prontidão. Só podemos cessar as atividades quando recebermos outro comunicado”, comentou, destacando as ações para a cidade.

“Além do plano preventivo, estamos percorrendo algumas áreas e comunidades, principalmente as ribeirinhas, para sabermos se existem riscos para os moradores”, ressaltou Estrela.

Com as fortes chuvas da madrugada e do início da manhã, equipes do órgão foram chamadas para atender ocorrências em diversas localidades. As ligações começaram a ser realizadas a partir das 5h e tiveram como foco casas alagadas nos no José Américo, Valentina, Grotão e Varadouro, além da comunidade de São Rafael, no Castelo Branco. Nenhuma pessoa ficou ferida.

Chuvas deixam trânsito lento e famílias preocupadas em Campina Grande

No começo da manhã desta sexta-feira (6) a cidade de Campina Grande voltou a registrar chuvas em quantidade considerável, porém, causando aparentemente menos transtornos do que na tarde de ontem, quando choveu 35,4 mm em cerca de duas horas. O coordenador da Defesa Civil no município, Ruiter Sansão, informou que o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) emitiu um comunicado de alerta moderado para as chuvas que podem cair durante todo o dia de sexta-feira.

“O Cenad já nos alertou de que cerca de 44 mm podem cair até o final do dia, mas como as chuvas de hoje não possuem incidência de ventos, como ontem, elas podem ser consideradas administráveis, e por sabermos quais são as áreas de risco, já temos uma noção de como proceder diante das ocorrências que chegarem à Defesa Civil”, afimou Ruiter.

Os bairros onde há o maior risco para as famílias são Pedregal, Catingueira, Conceição, Cruzeiro e Distrito dos Mecânicos. No último citado, por volta das 8h, a Defesa Civil esteve monitorando uma região onde cerca de 20 famílias residem e na área houve alagamento com as chuvas causadas na tarde de ontem, deixando os moradores sob alerta.

O carregador João Anísio da Conceição, 41 anos disse que desde o início da manhã está atento à passagem de água no canal que está sendo construído na região. “Onde eu moro após as chuvas de ontem a água fez uma marca de 20 cm na parede, inclusive deixando molhados alguns móveis, hoje quando começou a chover, por volta de 6h, já corri para a obra do canal para ver onde estava passando água e se poderia voltar a inundar tudo, nem vou trabalhar hoje para dar apoio também aos meus vizinhos”, disse João Anísio.

Entre as 6h e 8h, o fluxo de veículos nas avenidas Almeida Barreto, Assis Chateaubriand e Almirante Barroso, ficou lento, dando início a pontos de congestionamento, porém, de acordo com a Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), oito agentes foram acionados para se deslocarem para os trechos mais críticos para monitorar a situação, dando vazão ao trânsito e tornando possível o acesso ao centro da cidade pela zona sul.

Outras cidades

Segundo dados preliminares da Aesa, os municípios que registraram as maiores precipitações foram São Bentinho, com 60,3 milímetros; São Domingos de Pombal, com 48,6 milímetros; Emas, 46,1 milímetros; e Pombal, com 41,7 milímetros. Já as cidades onde ocorreram as menores precipitações foram Vista Serrana, com três milímetros; e Lagoa, com 10,5 milímetros.

Jornal da Paraíba