João Pessoa 21/06/2018 16:11Hs

Início » Cidades » Diretor do presídio de Cajazeiras revela que três facções tentam dominar a unidade prisional

Diretor do presídio de Cajazeiras revela que três facções tentam dominar a unidade prisional

O diretor do Presídio Regional Padrão da cidade de Cajazeiras, Jailson dos Santos, explicou nesta quarta-feira (17), as motivações que os detentos alegaram para promover uma rebelião nessa terça-feira (16).

A rebelião, segundo o diretor, ocorreu após o assassinato do ex-presidiário Maurício dos Santos, que recebeu o alvará de soltura nessa segunda-feira (15) e foi morto com um tiro de 12 na cabeça minutos depois. Os colegas de Maurício, que são da cidade de João Pessoa quiseram se rebelar, pois disseram que o ex-presidiário não poderia ter sido solto naquele dia, por ser feriado, porém, somente o comércio não estava funcionando em Cajazeiras.

“Eles alegavam que quem tinha matado o amigo deles eram os homens de pano. Homens de pano que eles falam é agente ou polícia”. Disse

Jailson revelou que existe hoje no presídio da “Terra do Padre Rolim”, três facções criminosas, que são: PCA (Primeiro Comando da Asa), que é liderado pelos detentos de Cajazeiras, a Al-Qaeda e Estados Unidos, que são da cidade de João Pessoa.

Segundo o diretor, todos os tumultos na casa prisional foram ocasionados há cerca de quatro meses quando 60 presos do PB1 de João Pessoa foram transferidos para Cajazeiras, e desde então, o objetivo deles é fugir da cadeia.

Tentativa de fuga
O diretor revelou que os detentos de João Pessoa planejavam fuga em massa no dia da eleição, que ocorreu no último dia 7 de outubro (domingo), e inclusive tentaram comprar uma arma da facção de Cajazeiras por R$ 3 mil, para executar alguns agentes penitenciários. “Eles queriam fugir pela porta da frente com refém e tudo, mas nós descobrimos antes e inibir a ação”.

Ameaças de morte
Jailson revelou também, que está ameaçado de morte, além de alguns agentes penitenciários. “Alguém tem que fazer o serviço correto e como estamos fazendo ficamos sujeitos a pagar o preço”

Transferências
O diretor informou que oito presidiários de João Pessoa que se revelaram líderes no presídio regional foram transferidos nessa terça-feira (16), sendo quatro para Catolé do Rocha e quatro para Patos. “Não vejo a hora de mandar esses detentos de voltar para João Pessoa, porque nós éramos felizes e não sabíamos”.

Jailson disse que ainda restam 54 presos de João Pessoa no presídio de Cajazeiras.

Diário do Sertão