João Pessoa 16/08/2018 10:02Hs

Início » Cidades » Flamengo derrota o Goiás no Serra Dourada

Flamengo derrota o Goiás no Serra Dourada

Depois de sufoco no primeiro tempo, time melhora com mudanças e faz 1 a 0 com Marcelo Cirino.

FLA VENCE GOIÁSMarcelo Cirino comemora seu gol na vitória do Flamengo sobre o Goiás

A atuação do Flamengo no Serra Dourada — ou ainda, a diferença entre as atuações do primeiro e do segundo tempos na vitória deste domingo, por 1 a 0, sobre o Goiás — poderá ser usada como argumento pelos detratores do esquema tático com três volantes adotado constantemente pelo técnico Cristóvão Borges. O time que levou sufoco no primeiro tempo, com a formação mais conservadora, só foi encontrar o equilíbrio depois do treinador abrir mão de um marcador, no intervalo. E então, organizado como na vitória anterior, sobre o Grêmio, o rubro-negro dominou a etapa final e garantiu o segundo triunfo seguido no Campeonato Brasileiro. Marcelo Cirino fez o gol da partida, aproveitando excelente passe de Paolo Guerrero.

— Gol sempre é importante, ainda mais para mim, que vinha sendo cobrado por isso. Mas eu sempre estive focado. Independentemente de fazer o gol ou não, eu estava procurando ajudar, mas claro que fico muito feliz pelo gol e pelo abraço dos companheiros — comemorou Marcelo Cirino, que encerrou um jejum de três meses sem gol.

Em sua defesa, Cristóvão pode citar a versatilidade do elenco, que lhe permite variar a formação, e a ascensão do time, com três vitórias nos últimos quatro jogos no Brasileiro. Com 19 pontos, agora em 11º lugar, o Flamengo se distancia, enfim, da zona de rebaixamento, que começa no próprio Goiás, com 13. Domingo, com Emerson de volta, após cumprir suspensão, o time receberá o Santos no Maracanã, tentando engrenar, pela primeira vez no campeonato, três vitórias seguidas.

César evita goleada

Se tivesse ido para o intervalo perdendo de pouco, o Flamengo já estaria no lucro, tamanha a superioridade e as chances de gol desperdiçadas pelo Goiás. Mesmo com um meio-campo mais voltado para a marcação e laterais que não apoiavam, o time deixava seus zagueiros expostos. O estreante César Martins, que não atuava desde maio, perdia todas as jogadas. Pela direita, Marcelo sofria na cobertura a Ayrton, e era envolvido com facilidade, ora por Murilo, ora por Felipe Menezes.

Faltava ao Goiás, no entanto, competência para transformar a pressão em gol. A partir dos 25 minutos, o time da casa passou a chegar seguidamente à área com perigo, mas então foi a vez de César brilhar, com pelo menos três intervenções salvadoras. Aos 32, o goleiro, que deve voltar ao banco contra o Santos, já que o titular Paulo Victor está recuperado da fratura na fíbula direita, espalmou o chute na pequena área de Bruno Henrique. Em seguida, evitou o gol de Felipe Menezes. E, aos 36, saiu corajosamente de carrinho para impedir o chute de Murilo, livre na área. Depois de nove jogos substituindo o titular, César deixou o campo satisfeito com a atuação na possível despedida.

— Eu fico extremamente realizado pela oportunidade que tive. Triste pela contusão do Paulo Victor, mas feliz por ele estar voltando. Mas se eu tivesse feito as defesas e o time não tivesse conseguido a vitória, não teria adiantado nada — refletiu César ao fim da partida.

Susto nos minutos finais

O triunfo começou a ser construído no intervalo, quando Cristóvão corrigiu a escalação, lançando Pará no lugar de Ayrton, para fechar a avenida na direita da defesa, e colocando o meia Alan Patrick na vaga de Canteros, equilibrando a equipe.

O resultado foi imediato. A defesa ficou menos desguarnecida. O meio, mais participativo. E a bola, enfim, começou a chegar ao ataque. Aos 13, Marcelo Cirino e Éverton tramaram um bom ataque, mas Alan Patrick demorou a concluir e foi desarmado pela defesa goiana.

Quem não desperdiçou sua chance foi Marcelo Cirino: aos 26, ele recebeu passe espetacular de Guerrero e bateu de primeira, da meia-lua, para fazer o gol da vitória — ele não marcava desde 22 de abril, contra o Salgueiro, pela Copa do Brasil.

Se não conseguiu marcar quando o Flamengo estava desorganizado, empatar o jogo se tornou uma missão ingrata para o Goiás. Quando voltou a ter chance, César mais uma vez se destacou, saindo aos pés de Lucas Coelho. E, aos 44, a sorte ajudou o Flamengo: Lineker recebeu sozinho na área mas acertou a trave, na saída do goleiro.

Goiás 0 x 1 Flamengo

Local: Serra Dourada

Goiás: Renan, Gimenez, Felipe, Fred e Diogo; Patrick (Lineker), Rodrigo, David e Felipe Menezes; Bruno Henrique (Carlos Eduardo) e Murilo (Lucas Coelho).

Flamengo: César, Ayrton (Pará), Marcelo, César Martins e Jorge; Cáceres, Márcio Araújo e Canteros (Alan Patrick), Marcelo Cirino (Gabriel), Guerrero e Éverton.

Juiz: Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)

Gol: Marcelo Cirino, aos 26 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Guerrero, Diogo Barbosa e Carlos Eduardo

Público: 10.298 pagantes (12.248 presentes)

Renda: R$ 760.080,00
O Globo