João Pessoa 14/08/2018 21:21Hs

Início » Cidades » Flamengo perde mais uma e Cristóvão descarta pedir demissão do clube

Flamengo perde mais uma e Cristóvão descarta pedir demissão do clube

Reunião do Conselho Gestor do clube nesta segunda-feira, porém, pode impor mudança mesmo contra vontade do executivo

flamengo mais uma derrotaA derrota para o Figueirense no Maracanã, com o gol da virada marcado no último minuto, foi a quinta do técnico Cristóvão Borges em oito jogos no comando do time no Brasileiro, e volta a deixar o treinador ameaçado de demissão. A troca de técnicos esteve na pauta da diretoria rubro-negra após o time perder o clássico contra o Vasco há uma semana, mas Cristóvão ganhou sobrevida com a vitória por 1 a 0 sobre o Joinville na última quarta-feira.

Após mais um novo revés, agora dentro de casa, Cristóvão Borges descartou pedir demissão. Cerca uma hora depois, o diretor-executivo de futebol, Rodrigo Caetano, defendeu a permanência do treinador no cargo. Como acontece toda semana, nesta segunda-feira o conselho gestor do clube se reunirá e pode optar por mudanças no futebol, incluindo a demissão do treinador. Rodrigo Caetano, que não participa das reuniões do conselho gestor, deixou claro que, se isto acontecer, ele será voto vencido:

– A campanha é ruim, é inegável. Fizemos boa parte do jogo no campo do adversário, tivemos oportunidades, saímos na frente… e tomamos a virada. Só o futebol explica. Não existe merecimento no futebol. No meu entendimento, o trabalho vai seguir – disse o dirigente. – Eu não participo da reunião do conselho, e até agora não fui chamado. (A demissão só ocorrerá) Se for consenso de toda a diretoria, mas nada foi falado sobre isso. Creio que é intenção da diretoria que o trabalho permaneça. A equipe está lutando, está com vergonha, e tem melhorado.

Rodrigo Caetano elogiou as atuações do Flamengo contra Joinville e Figueirense:

– O torcedor está chateado como nós, mas os dois últimos jogos, apesar da derrota de hoje, foi um time diferente.

Pouco antes, Cristóvão comentou sua situação. Perguntado, na entrevista coletiva após a partida, sobre sua situação e se haveria alguma possibilidade de entregar o cargo, Cristóvão descartou prontamente a alternativa.

– Não tem a menor chance (de pedir demissão). Existe uma necessidade grande de resultados, e não estão acontecendo. Esse tipo de crítica (sobre estar ameaçado no cargo) parou depois que vencemos o Joinville. Agora volta, é o futebol, e futebol é resultado. Em todo time tem pressão, no Flamengo você multiplica por mil. Sabemos que temos que trabalhar, e que só vai melhorar com vitórias – disse o treinador.

Desde a derrota para o Vasco, há uma corrente na diretoria rubro-negra que defende a mudança no comando técnico do time. Até o momento, o presidente Eduardo Bandeira de Mello sempre manifestou apoio irrestrito a Cristóvão e vem declarando, em diversas entrevistas, que a diretoria está satisfeita com seu trabalho. Mas a insatisfação deve aumentar muito a partir da derrota deste domingo.

Sobre o jogo em si, Cristóvão reconheceu que o time se desestabilizou após sofrer o gol de empate do Figueirense.

– Estamos tentando de tudo. Mas você tem de ter resultado. Buscamos hoje, em boa parte do jogo deu impressão de que conseguiríamos vencer. Mas sofremos o empate. Fomos em busca da vitória, o time deles continuou na mesma estratégia de buscar o contra-ataque. Jogamos pouco pelos lados, o que facilitou a marcação deles.

Na próxima quarta-feira, o Flamengo enfrentar o Internacional, no Beira-Rio, em jogo que deve ser a estreia do centroavante peruano Paolo Guerrero.

O Globo