João Pessoa 19/06/2018 12:33Hs

Início » Cidades » Fuzil AR-15 é prêmio de rifa para ajudar time infantil nos EUA

Fuzil AR-15 é prêmio de rifa para ajudar time infantil nos EUA

A rifa, que envolve diretamente as crianças ao torná-las vendedoras e promotoras da campanha, foi iniciada antes do ataque na Flórida, de acordo com Patterson

NEOSHO, Missouri — Um fuzil AR-15 é o prêmio para uma rifa que pretende ajudar financeiramente um time de baseball formado por crianças entre 7 e 9 anos de uma escola na cidade de Neosho, centro-oeste dos Estados Unidos. A arma de guerra, mesma utilizada pelo autor do ataque a tiros que deixou 17 pessoas mortas em uma escola da Flórida na última quarta-feira, não é considerada um objeto fora do comum para financiar um time infantil, de acordo com o treinador do time, Levi Patterson. Ao jornal “Kansas City”, ele afirmou que deseja transformar a campanha em “algo positivo”.

A rifa, que envolve diretamente as crianças ao torná-las vendedoras e promotoras da campanha, foi iniciada antes do ataque na Flórida, de acordo com Patterson. O prêmio foi concedido pelo pai de um dos jovens jogadores, co-fundador de uma fornecedora de armas na cidade. Segundo o treinador, o massacre em Parkland, no primeiro momento, fez que ele pensasse em reconsiderar a rifa, possibilidade logo reconsiderada. Sobre isso, Patterson deu uma breve declaração após ser alvo de diversos críticos nas redes sociais.

— Eu os aplaudo por lutarem pelo que acreditam. Apenas acho que têm uma visão desse tipo específico de arma que é diferente do que temos por aqui — afirmou ao “Kansas City”.

 O treinador fez questão de ressaltar na internet que nenhuma criança seria obrigada a participar da rifa, caso não se sentisse à vontade, nem que a ação faz parte de alguma plataforma política. Ainda assim, a atitude causou furor em várias pessoas: “Vocês são surdos? Uma AR-15 mata 17 pessoas e vocês rifam armas para esporte infantil?”, questionou uma pessoa. Em resposta, Patterson defendeu a rifa e lembrou o ataque na Flórida: “Rifas de armas acontecem há anos. O mau sempre existiu e para sempre existirá. Nossos corações ficam partidos por aqueles envolvidos, e não tomamos (o ataque) com leveza”.

Horas após os disparos em Parkland, o diretor da escola em Neosho da qual as crianças do time fazem parte anunciou a rifa em sua página do Facebook, encorajando “jogadores de baseball, treinadores e pais” a apoiar a atitude. Desde a repercussão do caso, várias doações foram feitas, vindas até de outros estados, segundo o treinador. O ganhador deverá apresentar um histórico de antecedentes criminais para levar o prêmio para casa.

Extra Online