João Pessoa 24/04/2018 18:22Hs

Início » Cidades » Mariano é atacado a tesouradas, mas não morre

Mariano é atacado a tesouradas, mas não morre

Juliano Cazarré acredita que o papel lhe deu mais espaço na Globo: 'Sou grato'

Rio – Em ‘O Outro Lado do Paraíso’, Sophia (Marieta Severo) já mostrou do que é capaz. Basta que se sinta ameaçada para que a vilã, literalmente, ‘corte’ o adversário do caminho. E pelo visto, nem a paixão é capaz de suavizar sua ira. Que o diga Juliano Cazarré, intérprete de Mariano na trama das 21h, que hoje vai sentir isso na pele. “Gravamos madrugada adentro. É uma cena importante. Sabíamos que seria determinante para alguns caminhos da história”, comemora Juliano.

Na trama, Mariano exige que Caetana (Laura Cardoso) revele os ‘podres’ da ex-amante. Ela, então, conta que Sophia matou Agenor e insinua que as mortes de Laerte (Raphael Vianna), Vanessa (Fernanda Nizzato) e Rato (Cesar Ferrario) também estão ligadas a ela. Ele ameaça Sophia, que revida. Mais tesouradas por aí?

“Não vou entrar em detalhes, mas vocês já imaginam. Ela tem uma lógica pra dar as tesouradas: alguém pressiona, ela reage”, despista. “Não posso dizer se ele sai dessa também, mas sei que esse acontecimento acaba resolvendo algumas coisas, como a história de Mariano com Lívia (Grazi Massafera). E encerrando o que Sophia e ele tiveram no passado. Acaba sendo um acerto de contas”.

SENSIBILIDADE

Com mais de 20 filmes e dez trabalhos na TV no currículo, Juliano conta que sua carreira começou a ter visibilidade da telona para a telinha.

“Minha trajetória no cinema é anterior à na TV. Estudava Artes Cênicas em Brasília, onde morava. Em 2005, peguei meu diploma e fui pra São Paulo. A turma de cinema me acolheu bem”, lembra. “Vim para o Rio em 2010 e fui fazer novela em 2011, ‘Insensato Coração’, aqui na Globo”.

De lá pra cá, Cazarré vem conquistando cada vez mais espaço, e Mariano, seu garimpeiro durão, ‘sem perder a ternura’, vem contribuindo muito para isso. “Quando soube que era pra ser um capanga da Sophia e teria um caso com ela, já quis fugir do estereótipo. Falei pro Walcyr (Carrasco) que imaginei um cara solar”, revela.

“Ele achou boa a ideia. E tudo foi se desenhando naturalmente. Mariano ajuda, torce para os outros. Foi romântico com a Cléo (Giovana Cordeiro), com a Lívia (Grazi Massafera). Teve uma vida difícil, daí deu uma escorregada, tentou dar um golpe na patroa”.

Para dar vida ao garimpeiro, Juliano não mede esforços. “Me dedico muitas horas por dia a ele. Tem dias que fico 11 horas dentro do Projac, e tem o deslocamento, o estudo do texto… Mas entendo que é da natureza da profissão. Às vezes, precisamos mesmo dar mais”, diz.

MAIS ESPAÇO

Perto do final da trama, prevista para maio, ele já consegue fazer um balanço.

“É uma novela que me deixou muito feliz, todo mundo trabalhando com muita empolgação. Fazemos parte desse sucesso. É honroso trabalhar com Marieta, Fernanda (Montenegro), dona Laura (Cardoso), Lima Duarte”, comemora o ator. “E tem a turma do garimpo. Novela é muito tempo junto, uma turma que tem que ter prazer de conviver. E temos. Foi bom fazer algo bem diferente dos últimos personagens. Mais pessoas estão prestando a atenção ao meu trabalho. Acho que o Mariano me traz mais espaço dentro da emissora. Sou muito grato”, completa.

Juliano acredita ser “meio parecido” com o garimpeiro. “Tenho aspecto masculino, mas sou sensível, carinhoso com os filhos, a esposa. Sou moleque, menino, gosto de surfe, futebol. Me emociono com arte. Gosto de que as pessoas à minha volta estejam bem felizes”, diz.

FAMÍLIA

Casado com a estilista Leticia Bastos há oito anos, pai de Vicente, de 8 anos, e Inácio, de 5, ele não descarta ter mais filhos. “Estamos pensando nisso, mas o país não ajuda a pensar no futuro. O planeta está numa hora sombria e o Brasil também”, reflete Juliano Cazarré. “Por nós, teríamos outro. Amor não falta”.

E o ator pondera sobre os reflexos do medo da violência: “Gosto de viver aqui e de tudo que construí, mas não tem um dia que não pense em como seria morar fora. Não dá para viver tendo medo de tudo. Abriu a porta de casa, tudo pode acontecer. Antes de ser pai, eu não tinha medo de morrer, mas agora…”.

Depois de Mariano, o que será que o ator pensa em fazer? “Quero descansar, recarregar. Depois, vou pro cinema, tem alguns projetos. Estou feliz com a carreira que construí até agora, mas quero mais”.

O Dia