João Pessoa 27/05/2018 19:49Hs

Início » Cidades » PM sequestrado em São Gonçalo contou, em depoimento, que foi espancado por bandidos

PM sequestrado em São Gonçalo contou, em depoimento, que foi espancado por bandidos

O major da PM que foi sequestrado e levado para a favela do Anaia, em São Gonçalo, na Região metropolitana do Rio, relatou, em depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG), que foi espancado com chutes e socos pelos criminosos. De acordo com a polícia, a mulher que estava com o oficial também foi agredida. O policial foi resgatado no fim da tarde de domingo por policiais da Core.

Ainda em depoimento, o PM afirmou que ele e a mulher foram ameaçados pelos traficantes. O major e a mulher estavam em São Gonçalo — ele a levaria em casa — quando se perderam e foram abordados por bandidos. Os criminosos abordaram o casal e, ao descobrirem uma das vítimas era PM, eles amarraram o agente, o colocaram na mala de seu próprio carro, um Troller verde, e seguiram para o Anaia. A mulher foi levada para a comunidade em outro veículo.

O policial relatou que os bandidos disseram que o levariam para o Salgueiro, onde ele seria esquartejado. O carro também seria queimado. Durante quatro horas, os bandidos circularam com o major e passaram por “ inúmeros pontos”. Eles pararam em vários locais onde havia diversos homens armados.

Ainda de acordo com o depoimento, os bandidos só estavam esperando terminar operações policiais que ocorriam na região para levar o PM a um lugar isolado. O policial estava dentro do porta-malas de seu carro quando os agentes da Core chegaram para resgatá-lo.

A informação de que havia um policial sequestrado chegou à central 190 da Polícia Militar na tarde de domingo. Inicialmente, acreditava-se que se tratava de um agente da Core. Com a ajuda de um helicóptero, os agentes da coordenadoria conseguiram localizar o major. Uma moto usada pelos criminosos foi apreendida.

A mulher que estava com o oficial foi encontrada nas proximidades do Anaia por seus parentes. Ela também já prestou depoimento. A delegacia tenta, agora, identificar os bandidos.

Extra Online