João Pessoa 20/08/2018 05:09Hs

Início » Cidades » PMJP inaugura Central de Medicamentos nesta quarta-feira

PMJP inaugura Central de Medicamentos nesta quarta-feira

Cerca de R$ 6,48 milhões foram investidos na construção da Central de Medicamentos, que será inaugurada nesta quarta-feira (3), no Bairro das Indústrias. O equipamento, considerado como o melhor do gênero no Nordeste, servirá como base para armazenar e distribuir os medicamentos em João Pessoa. A solenidade de entrega acontece no local, situado na Avenida das Indústrias, a partir das 16h.

Construída dentro dos padrões da Agência Nacional de Vigilância (Anvisa), a estrutura conta com três sistemas de refrigeração capazes de conservar os medicamentos em temperaturas diferentes. O sistema de climatização e filtração de ar garante a estabilidade do medicamento e permite o monitoramento de todo o galpão.

Segundo Janaína Lessa, gerente de medicamentos da Assistência Farmacêutica, a Central terá 35 câmaras de refrigeração ligadas à internet para emissão de relatórios diários de monitoramento da temperatura. Os refrigeradores contam com alarmes que, em caso de qualquer pane, emite um sinal para a central de manutenção dos geradores. Essas câmaras servirão para guardar remédios imunobiológicos, como vacinas, e outros medicamentos que necessitam de monitoramento de temperatura.

Janaína ressaltou que o sistema de armazenamento será todo verticalizado, por meio de portas-paletes, munido de um sistema de endereçamento para facilitar a localização dos medicamentos, com divisão por setores (como quarentena e controle especial) e uma área para produtos inflamáveis. “O armário é todo codificado com senha, para garantir a segurança”, ressaltou.

O equipamento conta com uma central de geradores, para os casos de pane elétrica ou falta de energia. A Central de Medicamentos terá uma área para descarga e carga e vai ter sistema de câmera de seguranças, além, de uma área externa para o abrigo de resíduos sólidos produzidos por todas as unidades de saúde da rede municipal. “A Central vai suprir a necessidade de armazenamento e expansão pelos próximos 10 anos”, enfatizou Janaína.

Secom-JP