João Pessoa 17/08/2018 07:08Hs

Início » Cidades » Portugal goleia das antigas antes do Euro2016

Portugal goleia das antigas antes do Euro2016

Portugal, com uma exibição de encher o olho de Quaresma e com bis de CR7, goleou a Estónia por 7-0 antes de se estrear no Euro2016.

golgol 1Depois de meia hora a ‘dormir’, Portugal chegou à primeira goleada da ‘era’ Fernando Santos com tentos de Ronaldo, aos 36 e 45, Quaresma, aos 39 e 77, o segundo após passe do muito acarinhado Renato Sanches, Danilo Pereira, aos 55, Karol Mets, na própria baliza, aos 61, e Éder, aos 80.

Perante mais de 50.000 espetadores (52.536), Portugal terminou, assim, em festa a preparação para o Euro2016, que havia incluído, sem o ‘capitão’, a gozar férias pós triunfo na ‘Champions’, uma vitória por 3-0 face à Noruega, no Dragão, e um desaire, com 10, face à Inglaterra, por 1-0, em Wembley.

A última seleção a aterrar em França, quinta-feira, na véspera do jogo inaugural, será, assim, uma das que chega mais moralizada e com jogadores a ‘ferver’, nomeadamente Quaresma, que até teve direito a cânticos com o seu nome.

Em relação ao desaire em Inglaterra (0-1), Fernando Santos mudou mais de metade da equipa, substituindo os quatro defesas e os dois avançados. Mantiveram-se o guarda-redes e os quatro elementos do meio campo.

Assim, Portugal arrancou com Rui Patrício na baliza, uma defesa com Cédric, Pepe, José Fonte e Raphael Guerreiro, uma meio campo com Danilo Pereira, João Mário, João Moutinho e André Gomes e Cristiano Ronaldo e Ricardo Quaresma na frente.

O encontro começou muito ‘morno’ e assim se manteve até à meia hora, merecendo apenas registo um cabeceamento por cima de Pepe, após canto de Quaresma, e mais dois remates sem perigo, um do jogador do Besiktas e outro de Moutinho.

O primeiro momento de verdadeira emoção aconteceu aos 32 minutos, com Moutinho a recuperar a bola e a isolar Ronaldo, que correu sozinho para a área, mas viu Londak defender o seu remate e a recarga de Raphael Guerreiro.

Esta jogada ‘acordou’, finalmente, a equipa lusa, com Ronaldo a rematar muito torto logo a seguir, mas a marcar à terceira tentativa, aos 36 minutos, com um cabeceamento imparável, depois de uma ‘trivela’ da esquerda de Quaresma.

A seguir ao primeiro, veio logo o segundo, mais precisamente três minutos depois, com Quaresma a surgir novamente pela esquerda e a fazer um ‘chapéu’ perfeito a Londak, com Ronaldo a não chegar a tempo de ‘estragar’.

O público teve o que tanto desejava, o espetáculo, e voltou a festejar aos 45 minutos, com Ronaldo a ‘bisar’, para o seu golo 58, em 126 jogos pela seleção ‘AA’, ao efetuar um ‘chapéu’ involuntário a Londak, um remate contra a relva, depois de um passe de João Mário, na direita.

Para a segunda parte, já não veio Ronaldo, nem Cédric, substituídos por Nani e Vieirinha, mas voltou Quaresma, que, aos 55 minutos, fez a segunda assistência, num canto da direita para o cabeceamento ‘fulminante’ de Danilo Pereira.

Já com Ricardo Carvalho, Renato Sanches (o mais aplaudido) e Éder em campo, em vez de Pepe, Moutinho e João Mário, o quinto chegou, seis minutos volvidos, com o ‘omnipresente’ Quaresma a centrar da direita e Londak a defender a punhos contra Karol Mets, que, sem perceber porquê, fez autogolo.

A seguir ao quinto, foi a vez de entrar William Carvalho, para o lugar de Danilo, e o espetáculo voltou aos 77 minutos, com grande arrancada de Renato Sanches, culminada com um passe a isolar Quaresma, que, em estado de graça, atirou cruzado, colocando a bola junto ao ângulo inferior direito.

Depois de tantos jogos a vencer por um, sendo exceção o 3-0 à Noruega, Portugal estava empolgado e só demorou mais três minutos a chegar ao sétimo, selado por Éder, que ‘matou’ no peito um passe de André Gomes e atirou a contar.

Num repente, a seleção lusa estava a um mísero golo de igualar o seu recorde de sempre — os 8-0 ao Liechtenstein (1994 e 1999) e ao Kuwait (2003) -, que André Gomes e Nani poderiam ter materializado. Sander Puri também ameaçou o golo de honra.

Equipas:

– Portugal: Rui Patrício, Cédric (Vieirinha, 46), Pepe (Ricardo Carvalho, 58), José Fonte, Raphael Guerreiro, Danilo Pereira (William Carvalho, 70), João Mário (Éder, 59), João Moutinho (Renato Sanches, 58), André Gomes, Ricardo Quaresma e Cristiano Ronaldo (Nani, 46).

(Suplentes: Anthony Lopes, Eduardo, Ricardo Carvalho, Éder, Vieirinha, William Carvalho, Renato Sanches, Nani, Rafa Silva, Eliseu e Adrien Silva).

Selecionador: Fernando Santos.

– Estónia: Londak, Teniste, Baranov, Klavan (Raudsepp, 68), Kallaste, Dmitrijev (Sappinen, 63), Antonov, Mets, Puri (Gussev, 87), Kruglov (Marin, 66) e Anier (Vassiljev, 70).

(Suplentes: Vaikla, Meerits, Liivak, Sappinen, Kokla, Vassiljev, Marin, Frolov, Gussev, Jurgenson, Raudsepp e Tamm).

Selecionador: Magnus Pehrsson.

Árbitro: Bart Vertenten (Bélgica).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Kallaste (87).

Assistência: 52.536 espetadores.