João Pessoa 26/04/2018 03:41Hs

Início » Cidades » Taxistas protestam contra transporte clandestino em João Pessoa

Taxistas protestam contra transporte clandestino em João Pessoa

Taxistas de João Pessoa protestam na manhã desta quinta-feira (25) nas principais avenidas da capital. Segundo o presidente do sindicato da categoria, Antônio Henriques, o objetivo é pedir providências da Prefeitura Municipal para evitar a atuação de transportes clandestinos. A estimativa do sindicato é de que 300 profissionais participam da mobilização.

Além do problema com os clandestinos, os taxistas denunciam que profissionais de outras cidades estão invadindo as praças deles. A mobilização também tem como objetivo homenagear São Cristóvão, padroeiro dos motoristas.

De acordo com Antônio Henriques, João Pessoa conta com aproximadamente 1.442 profissionais atuando na capital.

Pouco antes das 11h a Semob informou que o trânsito no Centro de João Pessoa estava totalmente congestionado. Algumas linhas de ônibus estão tendo que alterar suas rotas. Os agentes de trânsito estão orientando sobre os respectivos desvios.

“São pessoas que pagam os impostos em dia, que honram os compromissos e não têm o mínimo respaldo do poder público. Há taxistas que não fazem sequer uma corrida por dia por causa da prática desleal realizada pelos clandestinos”, afirmou Antônio Henriques.

Ainda segundo o sindicato, alguns hotéis montaram um esquema de propina para prejudicar ainda mais alguns taxistas. “É outra prática perniciosa. Alguns hotéis direcionam os clientes para determinados taxistas e não permitem que outros também possam fazer corridas. Queremos uma ação a favor da nossa causa que conte com a Prefeitura Municipal, fiscalizações do BPTran [Batalhão de Policiamento de Trânsito], por exemplo”, completou.

Percurso
A mobilização dos taxistas se concentrou na Praça Pedro Gondim, no bairro da Torre. De lá, os manifestantes pretendem descer pela Avenida Camilo de Holanda, Parque Solon de Lucena,  Terminal de Integração e Paço Municipal.

“Fecharemos todas as ruas e não sairemos enquanto não formos recebidos pelo prefeito. E tem mais: vamos dar um prazo e, caso as nossas reivindicações não sejam atendidas dentro do tempo estabelecido, vamos promover outras mobilizações e até radicalizar com o nosso movimento”, alertou.taxistas