João Pessoa 22/05/2018 06:18Hs

Início » Destaque » Bolsonaro lidera; Marina, Ciro e Alckmim embolam em 2º lugar, diz Datafolha

Bolsonaro lidera; Marina, Ciro e Alckmim embolam em 2º lugar, diz Datafolha

Cenários sem Lula: quase inalterados Caso dispute, petista teria de 34% a 37% Datafolha testou 9 cenários diferentes

Deputado Jair Bolsonaro durante entrevista coletiva após almoço com a Frente Parlamentar da Agricultura.Foto: Sérgio Lima/PODER 360

Se a eleição presidencial fosse hoje, a disputa teria Jair Bolsonaro (PSC) líder da disputa pontuando de 16% a 20%, a depender da combinação de cenários. Entre os candidatos tradicionais e já com partido definido, o 2º lugar ficaria embolado entre Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB).

Quando são incluídos nomes de pré-candidatos ainda não filiados a partidos, entra na lista de segundos colocados o empresário e apresentador da TV Globo Luciano Huck.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está quase fora da disputa por ter sido condenado em 2ª Instância a 12 anos e 1 mês de prisão, lideraria a disputa caso pudesse ficar no páreo. O petista tem de 34% a 37%, percentuais semelhantes ao que têm em outras pesquisas realizadas antes da sentença que recebeu do Tribunal Regional Federal da 4ª Região no último dia 24 de janeiro de 2018.

Esses são os resultados principais da pesquisa Datafolha realizada nos dias 29 e 30 de janeiro em 174 cidades com 2.826 pessoas. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Eis 1 quadro com os percentuais máximo e o mínimo de intenções de voto alcançados por cada candidato nos cenários testados:

Já o ex-presidente Lula venceria Alckmin (49% a 30%) e Marina (47% a 32%), além de Bolsonaro.

CONDENAÇÃO DE LULA

condenação do ex-presidente a 12 anos e 1 mês de prisão pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal) pode torná-lo inelegível, mas sua participação na campanha depende de uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que só deve ocorrer em setembro. Até lá, ele pode se apresentar como pré-candidato e recorrer a tribunais superiores para garantir seu nome na disputa.

Caso tenha sua candidatura seja barrada na Justiça, os principais beneficiados no cenário eleitoral seriam a ex-senadora Marina Silva, que passa de 8% para 13% de intenções de voto e Ciro que cresce de 6% para 10%. Outros candidatos também crescem quando Lula está fora do páreo, mas de forma mais tímida: tanto Geraldo Alckmin quanto Luciano Huck sobem de 6% para 8%.

Porém, sem Lula, o percentual de eleitores que diz não saber em quem votar ou que votaria em branco ou nulo sobe de 16% para 28%.

O Datafolha testou o nome do ex-governador baiano Jaques Wagner como 1 dos possíveis substitutos de Lula pelo PT. Ele aparece com 2% de intenções de voto na pesquisa.

GERALDO ALCKMIN

Favorito para se candidatar à Presidência pelo PSDB, Alckmin patina em todos os cenários testados. O governador de São Paulo tem de 6% a 11% das intenções de voto.

No 2º turno, Alckmin seria derrotado por Lula e aparece tecnicamente empatado em uma disputa com Ciro Gomes. Nesta 2ª simulação, quase 1 terço dos eleitores diz que votaria em branco ou nulo.

O governador paulista vem sofrendo problemas dentro do próprio partido para viabilizar sua candidatura. Uma potencial alternativa Alckmin seria o prefeito paulistano João Doria, que também não decolou: aparece com, no máximo, 5% das intenções de voto.

Poder360