João Pessoa 25/05/2018 12:50Hs

Início » Destaque » Cartaxo evita atacar Cássio e minimiza críticas do tucano a Dilma

Cartaxo evita atacar Cássio e minimiza críticas do tucano a Dilma

cartaxo minimiza cassioDiferente do presidente do PT Nacional, Charliton Machado, que endureceu o discurso contra o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) por conta do discurso do tucano contra a presidente Dilma na convenção do PSDB em São Paulo, no último fim de semana, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT) evitou atacar o senador paraibano, se atendo apenas a dizer que “as críticas fazem parte da disputa política nacional”.

O prefeito, que tem o apoio de três vereadores tucanos na gestão municipal, disse, no entanto, que acredita na superação da crise nacional e na “volta por cima” do Partido dos Trabalhadores.

“Essa é uma disputa política que se dá no cenário nacional por diversos partidos que têm feito oposição ao governo Dilma. Nós estamos firmes de que o país vai sair desse momento de dificuldade. Eleição só em 2016. Nós estamos focando no nosso trabalho, do contrário não conseguiríamos mostrar trabalho na cidade, estamos fazendo uma obra por semana na cidade de João Pessoa no momento de muita crise”, ressaltou.

Cartaxo também afirmou que a administração municipal já iniciou os estudos sobre o reajuste salarial dos servidores que deverá ser anunciado nos próximos dias.

“Já temos as primeiras informações e caminhamos para ter uma definição de maneira mais completa. Já estamos fazendo uma simulação da folha, já temos uma primeira apresentação, eu pedi novas informações”, falou.

Em entrevista na última segunda-feira (06),  O presidente estadual do PT na Paraíba, Charliton Machado, lamentou que os adversários estivessem tentando retornar ao poder pelo caminho mais fácil – o do golpe de direita.

“A convenção do PSDB resultou em flagrante adesão ao golpismo e negação da democracia. Principal partido de oposição no Brasil após quatro derrotas presidenciais, o PSDB resolveu rasgar seu programa político de centro e assumir definitivamente o caminho mais fácil para um possível retorno ao poder – O golpe da direita. Nessa lógica cabe ao tucanato desestabilizar de todas as formas o governo com ações de denúncias produzidas e circuladas pela grande mídia e apostar na unidade de interesses com os setores mais reacionários do país, leia-se Bolssonaro, Malafaia, Cunha, bancada da bala, outros facistas, e etc”, detonou o dirigente petista.

PB Agora