João Pessoa 24/04/2018 04:49Hs

Início » Destaque » Cássio confirma reeleição ao senado, posiciona contra o fundo partidário de campanha e critica MP de RC

Cássio confirma reeleição ao senado, posiciona contra o fundo partidário de campanha e critica MP de RC

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) participou do programa Rádio Verdade da Arapuan FM, desta sexta-feira (18), e saudou o formato do novo programa com os novos ancoras que se incia nesta segunda-feira (21), na oportunidade, o senador confirmou que sua preferência de candidatura é de disputar a reeleição no senado e, alertou também para uma não possibilidade da disputa para as eleições de 2018, tendo em vista, como o compromisso uma aliança que compõe em prol da unidade das oposições na Paraíba, o senador afirmou ainda seu posicionamento contrário ao fundo público de campanha  para as eleições de 2018 que vai retirar os recursos já escassos da saúde, educação e da segurança pública, além de criticar a MP anunciada pelo governador  que pretende contratar 800 policiais militares que atualmente fazem a segurança externa nos presídios da Paraíba e não convocar os concursados de 2014.

O senador Cássio Cunha Lima discordou do financiamento público de campanha de R$ 3,6 bilhões, que para ele só resta duas alternativas: uma por financiamento por pessoa física a exemplo da eleição municipal passada que é um caminho, e a outra alternativa que o senador alegou que está apresentando é um fundo público gerenciado pela justiça eleitoral que pode receber doações impessoais de empresas de pessoas jurídicas para que esse fundo faça o gerenciamento das campanhas, dessa forma tiramos as doações para candidatos e para partidos que será feita indistintamente de caráter impessoal para que a justiça eleitoral possa receber doações privadas e organizar ás eleições, dessa forma se consegue uma solução mista aonde as empresas não doam diretamente nem aos partidos nem aos candidatos, mas contudo, podem fazer a doação a este fundo que será administrado pela justiça eleitoral para que as campanhas e os limites rigorosos de gastos possam ser financiados também pelas empresas privadas evitando assim o envio de dinheiro público para realizações das eleições, e que vai a população se mostrou contra do montante bilionário para financiar eleição, explicou o senador Cássio.

O senador Cássio C Lima disse que sua propostas não tem muita expectativa entre os senadores em Brasília, pela sua aprovação é que muitos senadores não acreditam que as empresas ganhe estímulo para as doações de forma específica e de caráter impessoal, mesmo assim, irei apresentar a proposta na tentativa de prosperar e que acha que vai funcionar na eleição de 2018 é a regra das eleições municipais, que possui duas fontes de financiar os recursos das eleições que é o fundo partidário e as doações de pessoas físicas, frisou.

Por fim, o senador Cássio criticou a medida provisória que tramita na assembleia legislativa de autoria do governador Ricardo Coutinho que pretende criar 800 policiais  militares que vão cobrir a função de segurança pública ao criar a guarda militar temporária que tira a vaga de cinco mil habilitados concursados desde 2014, que em sua visão existe dois aspectos: primeiro é o desrespeito da campanha de 2014 que foi um compromisso assumido para a toda a Paraíba entre ambos naquele período eleitoral de quem fosse o vencedor realizaria a contratação dos militares que segundo o senador a medida é inconstitucional que já foi julgada pelo STF no estado de Goiás, e o governador não honrou, o  outro aspecto é o desrespeito quem estudou e se preparou muitos anos que muitos concursados já estão preparados e não foi chamado, e quando estava governador deixou pouco mais de 11 mil militares na corporação e que se encontra com o efetivo reduzido a 8,5 mil militares é claro que a segurança necessita de investimentos, criticou.

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.