João Pessoa 23/04/2018 23:23Hs

Início » Destaque » CONFIRMADO: Chefe da Casa Civil, Léa Silva será exonerada; carta já foi assinada por RC

CONFIRMADO: Chefe da Casa Civil, Léa Silva será exonerada; carta já foi assinada por RC

lea silvaA  chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Léa Silva (DEM), vai ser exonerada e a publicação deve sair no próximo Diário Oficial do Estado. O motivo seria a discordância entre ela e uma decisão do Governo que não renovou um contrato com uma empresa de hemodiálise.

Léa Silva prestou solidariade ao vice-prefeito Júnior Araújo (PTB) de Cajazeiras que atacou o governo pela não renovação desse contrato. “A vida é feita de ciclos, outras oportunidades virão e esse momento será superado. Avante guerreiro Júnior Araújo”, solidarizou-se.

As informações são de que o governador Ricardo Coutinho (PSB) teria tomado tal posicionamento como insubordinação da auxiliar e, nesta condição, perdido a confiança que o cargo exige.

O motivo da não renovação foi que a nova empresa contratada para prestar serviço de hemodiálise no Hospital Regional de Cajazeiras vai aumentar em 20% a capacidade do atendimento à população local.

Júnior Araujo seria dono da referida empresa que teve o contrato finalizado e não se conformou com a não renovação e resolveu criticar o Governo, dizendo que seria vítima de perseguição. Fato que não procede já que o contrato firmado foi cumprido.

Aliados da prefeita Denise Oliveira (PSB), incluindo o ex-prefeito Carlos Antônio (DEM), não escondem e levaram a insatisfação a público nas redes sociais, fator que provocou reações do governador Ricardo Coutinho.

Carlos Antônio, Denise e até a secretária Chefe da Casa Civil, Léa Silva (DEM), vereadora licenciada de Cajazeiras, se solidarizaram com Júnior nas redes sociais. O governador pediu uma retratação da sua auxiliar e recebeu um “não” de Léa como resposta. Gesto interpretado pelo governador como um pedido de demissão. Filiada ao DEM, Léa é da cota de indicação de Carlos Antônio, ex-secretário do primeiro governo Ricardo Coutinho.

O deputado estadual José Aldemir disse que não iria comentar o assunto “prefiro não comentar, isso não me compete”, explicou o parlamentar que não é aliado do Governo e pode acreditar que o clima pode lhe ser favorável com o racha entre aliados dos socialistas na cidade.

PB Agora