João Pessoa 22/09/2017 02:52Hs

Início » Destaque » “Congresso, moralmente podre, não tem a mínima condição de fazer ou aprovar reformas”, dispara padre na PB

“Congresso, moralmente podre, não tem a mínima condição de fazer ou aprovar reformas”, dispara padre na PB

Conhecido como um dos líderes religiosos mais engajados em causas sociais, sobretudo de interesse do povo nordestino, o Padre Djacy Brasileiro, que atualmente lidera a Paróquia de Pedra Branca, no Vale do Piancó da Paraíba, condenou a atual composição do Congresso Nacional, e disse que os parlamentares que lá estão não tem a mínima condição de fazer ou aprovar reformas nesse atual momento delicado por que passa o país.

Em entrevista a uma emissora de rádio sertaneja, o religioso lembrou que o Brasil está mergulhado em um mar de corrupção, sendo grande parte liderada pelos representantes eleitos para defender os bens e os interesses do povo, mas que não estão fazendo sequer o dever de casa.

“O Brasil está mergulhado no mar da corrupção, no mar da miserabilidade em termos de vivência ético-moral. Esse Congresso, moralmente podre, não tem a mínima condição de fazer ou aprovar reforma alguma. E eles querem, com toda essa podridão moral, aprovar a reforma da previdência, que é a reforma da morte; querem fazer reforma trabalhista, já aprovaram a terceirização, que é uma afronta a classe trabalhadora. Então nós estamos vivendo um caos moral na área política”, desabafou.

Para Djacy, há duas saídas para começar a reverter o caos instalado no país, uma delas passa pela população adotar uma nova forma de escolher seus governantes, com consciência e sem subserviência. A outra alternativa é a realização de novas eleições presidenciais.

“A saída é nova eleições, e a saída também está no povo, que deve se conscientizar e votar em candidatos comprometidos com o próprio povo, e acabar com esse negócio de votar em candidatos da elite, candidatos da oligarquia, candidatos ligados à classe empresarial, ligados aos ricos e aos pobres. Nós temos que votar em candidatos que saiam da base, do meio do povo. Infelizmente pobre gosta de votar em rico. Nós temos que votar em candidatos sérios, comprometidos com o povo, com a classe trabalhadora, com os movimentos sociais, que saiam do meio do povo, das bases. A grande mudança está em nós. Nós eleitores é que devemos fazer a grande mudança política”, alertou.

PB Agora