João Pessoa 22/04/2018 14:41Hs

Início » Destaque » Declínio na saúde de 9,234 milhões, sem autorização do conselho de saúde levam vereadores provocar Ministério Público de Santa Rita

Declínio na saúde de 9,234 milhões, sem autorização do conselho de saúde levam vereadores provocar Ministério Público de Santa Rita

downloadA saúde de Santa Rita anda com as pernas quebradas e um braço aleijado, os programas de saúde da família faltam médicos, medicamentos, hospitais fechados, exames tem que esperar bastante tempo, profissionais cobrando melhores condições de trabalho, falta de material básico e até o salário de funcionários que ingressaram no serviço público no mês dezembro atrasado, o pronto socorro de fraturas não renovou o contrato com o SUS, desencontro de informação na Câmara Municipal da secretaria da Janaína e o prefeito, até PSF com fornecimento de energia elétrica, a  população sofrendo e o prefeito Reginaldo Pereira achou por bem tirar 9,234 milhões, do que já era pouco para beneficiar a população e transferir para a segunda secretaria de educação que possui maior recurso no município

Conforme o vereador Sebastião do PT, o Diário Oficial Eletrônico do Município de Santa Rita, publicou na página Doe 02 nº 021, art01, pag.02, de 17/06/2013 sob o processo 02.070 da secretaria de saúde transferências intra governamentais ao Fundo de Municipal de Saúde  0000254 339141 99 00 no total de 9.234,262,00 , sem nenhuma justificativa ao conselho que controla esse fundo da saúde.

De acordo com o secretário de finanças Sebastião Feitosa Justificou que não precisaria da permissão para retirada do recurso, haja vista, que a movimentação financeira foi feita Intra-governamentais ao FMS, com a secretaria de saúde, onde o recurso não pertence ao fundo municipal de saúde, más o questionamento da população hoje é porque a saída de um volume de dinheiro pra uma secretaria que possui o segundo maior orçamento do município e, qual o objetivo e quando retornará a secretaria que passa por imensas dificuldades, para investimentos necessários  básicos para servir a população no município.

O secretário de finanças quer justificar o injustificável, os recursos da saúde são pra ser administrados  em beneficio da saúde do povo, se quer o prefeito Reginaldo Pereira sanou as dívidas encontradas, segundo ele, não fez nenhum implemento para mudar a qualidade da vida da população neste setor, que é questionado pela população que na campanha seria a prioridade do povo de Santa Rita.

Conforme o vereador a questão é a seguinte: o orçamento de 2013, que foi aprovado em fevereiro de 2013, que  outra legislatura aprovou apenas em primeiro turno, dos quais, foi aprovado com apenas 5% em sua totalidade para remanejamento de verbas de uma secretaria para outra. A  operação financeira de remanejamento foi realizado no valor de 25 %, dos recursos aprovado na Loa. A Câmara  Municipal de Santa Rita vai representar no Ministério Público uma ação contra o prefeito de Santa Rita e os responsáveis pela operação dentro dos próximos dias para punir os culpados pelo transação irregular.

Fica a pergunta no ar que não quer calar?  Os recursos remanejados da secretaria de saúde no valor de 25%, foi referente à votação da Loa de 2012 em 1º turno ou a 2ª votação pelos novos legisladores em fevereiro de 2013, aprovado com 5% de crédito suplementar de remanejamento das secretarias

Lamartine Do Vale