João Pessoa 21/07/2018 23:08Hs

Início » Destaque » Ele perdeu os pés, e ganhou o mundo

Ele perdeu os pés, e ganhou o mundo

Pauê Aagaard superou uma tragédia e tornou-se exemplo

campeão de triatron“Eu não esperei o mundo me trazer alguma resposta. Fui lá e busquei o que eu queria”. É assim que o atleta Pauê Aagaard, 32 anos, resume seus últimos 14 anos. Em 2000, aos 18 anos, ele ia para a academia quando foi atropelado por um trem, em Santos (SP). Tudo mudou.

“A ferrovia era desativada e o trem passou apagado. Quando me dei conta, ele já estava em cima de mim. Perdi parte das duas pernas e fiquei com 70% do corpo escoriado”.

Mas apesar disso tudo, foram apenas dois meses internado. E a reabilitação foi “relâmpago”, classifica. Saiba o que mudou na vida de Pauê.

Escape
Quando tirei os pontos, pulei na água e não saí mais. Foi no mar, ganhando fôlego e força, que me senti pleno para dar meus primeiros passos. Até que me vi, sem parte das pernas, fazendo algo que muita gente com as duas pernas não fazia.

Superação
Eu encontrei conforto em três pilares: na minha família (e amigos), em Deus (a força maior que sabe que havia um motivo para aquilo acontecer) e em mim, descobrindo o que me fazia feliz para ajudar na superação.

Correndo atrás
Percebi que a dificuldade existe, mas que a evolução só acontece se você perseverar. Não adianta saber qual é o seu caminho, saber que não está sozinho e acreditar em Deus. Tem que levantar a bunda do sofá e fazer acontecer.

Aprendizado
É inevitável que, quando acontece algo que tira você da zona de conforto, você ganha lapidação, experiência e serenidade. Você consegue ver que as respostas podem estar aí do seu lado.

Novos gostos
Para aprender, precisei viver uma tragédia. Mas ninguém precisa disso para descobrir o contato com a natureza, a importância do sono e de se alimentar bem. As pessoas não ligam, pois está tudo nas mãos. Um pôr-do-sol pode ser mais que uma imagem bonita.

Recado
O maior conselho que eu posso dar é: não espere as respostas. Vá ao encontro delas, pois o caminho vai presenteá-lo com várias coisas legais.

De apreciador do esporte a campeão mundial
Em seis anos de triathlon, Pauê Aagaard já conquistou inúmeras vitórias. A primeira delas foi ser considerado, no mesmo ano em que sofreu o acidente, o primeiro surfista biamputado no mundo.

De lá para cá, surgiu uma trajetória de conquistas na modalidade. Foicampeão mundial de triathlon (2002), medalha de bronze no Pan-Americano (2003), pentacampeão brasileiro de triathlon (de 2002 a 2006) e tetracampeão internacional de triathlon, em 2002, 2003, 2006 e 2007.

Além disso, roda o país ministrando palestas em instituições, falando sobre sua trajetória. Já passou por mais de 100 empresas, como Volkswagen, Gol, Banco Real, Telefônica, Sony, Philips e Nike.

PUBLICIDADE