João Pessoa 19/08/2018 09:46Hs

Início » Destaque » Em estreia de Drubscky, Fluminense vence e se mantém vivo no Carioca

Em estreia de Drubscky, Fluminense vence e se mantém vivo no Carioca

Tricolor vence por 3 a 0 a Cabofriense, no Maracanã. Sem balançar as redes há três jogos, Fred volta a marcar

Fluminense-Cabofriense-Cleber-Mendes-LANCEPress_LANIMA20150326_0334_52No dia 1º de fevereiro de 2015, Fred reencontrou a torcida tricolor na estreia do Carioca. Marcou um gol de pênalti na vitória por 2 a 1 sobre o Friburguense. Depois, foram mais seis gols assinalados. Nesta quinta-feira, voltou a balançar a rede após jejum de três jogos. Foram R$ 114 mil por cada gol marcado, haja vista que tem de salário R$ 800 mil aproximadamente. Pouco? Muito? Uns vão defendê-lo, outros não e alguns pedir paciência, porque é artilheiro.

Mas a realidade de hoje é nua e crua. E atende pelos nomes de Kenedy e Gerson, carregando o time nas costas, com o peso do Fred, diga-se de passagem, como contra a Cabofriense. Nesta quinta, mais uma vez Gerson, após assistência de Kenedy, ajudou a tirar o Tricolor do jejum. Edson também deixou a sua marca e, com o gol de Fred, 3 a 0 no placar.

Um pequeno detalhe que passou despercebido por muitos no Maracanã, até porque, graças a “fabulosa” Federação de Futebol do Rio (Ferj), tinham “meia dúzia” de gatos pingados. Foi Gerson que roubou a bola na defesa, acionou Wágner, tocou para Kenedy e o garoto deixou Gerson em condições de marcar, aos 22 minutos ainda do primeiro tempo.

Ah, o torcedor deve estar se perguntando qual o detalhe: Fred tentou acompanhar o contra-ataque. Só tentou, porque a língua já estava para fora e o pulmão gritando. Que Fred é fundamental ao Tricolor, não resta dúvida, mas salvador da pátria, isso não é mais há muito tempo. Serve para dar experiência aos mais jovens, ser um bom conselheiro. Função perfeita no atual momento do Fluminense.

No segundo tempo, Edson, aos 12, e o próprio Fred, aos 32, e mais livre do que passarinho fora da gaiola, determinaram os 3 a 0 sobre a fraca Cabofriense, que tem apenas oito pontos e já começa a coçar a cabeça contra o rebaixamento.

Ricardo Drubscky levanta as mãos para o céu e agradece aos garotos essa sua estreia vitoriosa à frente do Tricolor das Laranjeiras. E melhor: para garantir vaga nas semifinais, o time, agora com 25 pontos, depende apenas dos seus esforços, porque ainda enfrenta Flamengo (29 pontos) e Madureira (27), adversários diretos nesta briga.


FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 3 X 0 CABOFRIENSE

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Gramado: Ótimo
Juiz: Grazziani Maciel Rocha
Cartões amarelos: Leandro Souza, Gerson, Marcinho e Gilcimar (CAB); Kenedy (Flu)
Renda e Público:
R$ 62.890,00 / 2.781 pagantes
Gols: Gerson (22’/1ºT), Edson (12/2ºT) e Fred (33’/2ºT)

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Marlon e Giovanni; Edson, Jean, Gerson e Wágner (Vinícius, 20’/2ºT); Kenedy (Lucas Gomes, 39’/2ºT) e Fred (Walter, 35’/2ºT). Técnico: Ricardo Drubscky

CABOFRIENSE: Rafael; Lenon, Leandro Souza, Vladimir e Leandro; Hiroshi, Everton (Chiquinho,18’/2ºT), Gerson e Marcinho (Marco Aurélio, 30’/2ºT); Gilcimar (Fabrício Carvalho, 30’/2ºT) e Arthur. Técnico: Edson Souza

Lancenet