João Pessoa 22/04/2018 16:04Hs

Início » Destaque » Família permitia estupro de menina de 12 anos em troca de dinheiro

Família permitia estupro de menina de 12 anos em troca de dinheiro

O criminoso dava comida, roupas, sapatos e dinheiro para os pais da vítima, que gastavam com bebidas alcoólicas

O nome e o rosto do criminoso não são divulgados para preservar a identidade da vítima, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente

Um operador de empilhadeira de 39 anos foi preso nesta segunda-feira (21), em Viana, acusado de estuprar uma menina de 12 anos. Segundo a polícia, ele é um primo distante do pai da vítima. A família permitia os abusos em troca de alimentos e presentes.

O titular da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), Lorenzo Pazolini, informou que a família começou a ser investigada depois de a vítima ter sido agredida pelo pai. Ele arremessou uma panela na cabeça da criança no dia 31 de janeiro deste ano. A vizinhança chamou a polícia e ele foi levado para a delegacia. A partir do episódio, a menina passou por exames e acompanhamento psicossocial. Como ela estava em uma situação de risco na família, a vítima foi encaminhada a um abrigo.

Ele se aproveitava de uma família humilde e desestruturada para cometer o crime

Delegado Lorenzo Pazolini

Pazolini explicou que o pai, de 50 anos, está desempregado, e a mãe, 37, é dona de casa. Os pais são alcoólatras e a vítima tem outras três irmãs: uma de 9, outra de 7 e a mais nova de 2 anos. No relatório psicossocial foi constatado que a menina mais velha era quem cuidava das irmãs. Diante desta situação, a Justiça determinou que as outras crianças também fossem encaminhadas ao abrigo no dia 21 de março.

Durante o acompanhamento da menina de 12 anos foi identificado que ela era abusada sexualmente há quatro meses pelo acusado. E mesmo no abrigo, os pais tinham direito de visitá-la uma vez por semana. No entanto, o bandido também ia nas visitas. Eles buscavam a vítima, ela ficava com o primo do pai e no final do dia eles a levavam de volta ao abrigo.

> Recém-inaugurada, loja de roupas é arrombada em Itapoã

Em troca dos abusos, o acusado dava comida, roupas, sapatos e dinheiro para os pais que gastavam com bebidas alcoólicas. De acordo com a polícia, há quatro meses o acusado buscava as crianças para passarem o final de semana com ele e, na casa dele, abusava da mais velha. A polícia vai investigar se as outras irmãs também foram abusadas. Segundo Pazolini, o primo se aproveitava de uma família humilde e desestruturada para cometer o crime.

> De dentro da cadeia, traficante ordena morte de “sócio”

O acusado foi preso quando voltava do trabalho. Ele vai responder pelo crime de estupro de vulnerável. Pazolini informou que os pais da vítima também serão indiciados pelo mesmo crime e por omissão já que eles tinham a obrigação de proteger a filha. (Com informações de Glacieri Carraretto, de A Gazeta)