João Pessoa 24/06/2018 12:42Hs

Início » Destaque » Flu consegue virada meteórica, mas com 10, Grêmio empata no fim: 2 a 2

Flu consegue virada meteórica, mas com 10, Grêmio empata no fim: 2 a 2

Foi com uma ponta de frustração, mas sem perder a imensa confiança no quarto título brasileiro da história do Fluminense que o torcedor do time carioca saiu do Engenhão nesta quarta-feira. Depois de conseguir uma virada meteórica no segundo tempo, o Tricolor das Laranjeiras acabou levando o empate do Grêmio no fim, mas o placar de 2 a 2 ainda deixou o Flu muito à frente na liderança do Campeonato Brasileiro. A equipe do Rio passou a somar 69 pontos, 11 a mais que o time gaúcho, que é o terceiro. O vice-líder, Altéico-MG, está com 59 pontos, mas joga ainda nesta quarta contra o Santos na Vila Belmiro.

A renda da partida somou R$ 783.325,00, para um público de 30.215 pagantes (35.217 presentes. Na próxima rodada, o Fluminense enfrentará o Atlético-MG no Independência, domingo, ás 16h (de Brasília). Na véspera, ás 18h30m, o Grêmio recebe o Coritiba, no Olímpico.

Deco, Fluminense e Grêmio (Foto: Alexandre Cassiano / Agência o Globo)Deco, Deco tenta se livrar de Fernando e levar o Flu ao ataque (Foto: Alexandre Cassiano / Agência o Globo)

Como normalmente tem acontecido nos jogos do time carioca neste Campeonato Brasileiro, as primeiras ações ofensivas foram do rival. Com maior necessidade da vitória, a equipe gaúcha ignorou os gritos dos torcedores do Flu nas arquibancadas e foi para cima. E também como tem ocorrido neste Brasileirão, a sorte começou sorrindo para o Trciolor das Laranjeiras: logo aos seis minutos, Anderson Pico tentou o cruzamento da esquerda, ninguém foi na bola, ela tocou no chão e explodiu no travessão de Diego Cavalieri, que ficou perdido no lance. O goleiro se recuperou logo depois em ótima defesa a escanteio em chute forte de Elano de fora da área.

Logo o time da casa equilibrou a partida e reclamou pênalti de Werley, que tocou com o braço esquerdo na bola (ou teve a bola tocada em seu braço, como o árbitro Sandro Meira Ricci interpretou), aos 14. Porém, logo veio novo susto para a torcida do Flu: Leandro recebeu de Pará na área, pelo lado direito, e na saída de Cavalieri rolou para trás, Bruno afastou, mas a bola caiu nos pés de Marco Antônio, que quase acertou o ângulo esquerdo do goleiro. O jogo era aberto, mas com o Flu sempre jogando no erro adversário, armava contra-golpes muito perigosos, principalmentre pela esquerda. Só faltava acertar o último passe.

No entanto, foi quase sem querer que a equipe do Rio abriu o marcador, aos 30: Wagner recebeu de Deco, em cobrança de escanteio e ao tentar lançar na área – ou surpreender Marcelo Grohe – o goleiro do Grêmio teve de se esticar todo para jogar a bola para escanteio. A partir daí a partida ficou em ponto morto, até que empurrado por sua torcida o Flu ficou rondando a área gremista, mas sem ameaça real ao gol de Grohe. Assim, não teve como mudar o placar antes do fim da etapa inicial.

Grêmio volta melhor,  sai na frente, mas Flu vira em quatro minutos

Como era de esperar, até porque Wagner não atuou bem no primeiro tempo, Abel Braga mandou em seu lugar Thiago Neves, que voltara da seleção brasileira, na volta para a segunda etapa. No grêmio, Vanderlei Luxemburgo não fez substituição, mas teve o desprazer de ver logo aos 3 minutos Werlei perder um gol feito, na pequena área, chutando por cima do gol.

Quatro minutos depois do lance de incompentência, Elano mostrou como se faz. Gum derrubou Zé Roberto na meia-lua, falta bem marcada pelo árbitro, embora Luxemburgo tenha ficado esbravejando pedindo pênalti. Mas para o meia gremista foi como uma penalidade máxima, bola rasteira, por baixo da barreira, no canto direito de Cavalieri, que só assistiu à bola entrar: Grêmio 1 a 0.

Embora o time não correspondesse em campo até então na etapa final, a torcida do Flu não desanimou e se levantou para empurrar sua equipe. Deu certo. O gol do empate veio na jogada mais ensaiada por Abel, a aérea. Aos 14, Deco cobrou escanteio da esquerda, Thiago Neves desviou de cabeça no primeiro pau e Digão, completamente livre no lado oposto na pequena área tocou com categoria para deixar o placar igual de novo. Quatro minutos depois, Rafael Sobis arriscou um chutaço de fora da área e contou com a colaboração de Grohe, que deixou a bola passar por cima no meio do gol: Flu 2 a 1.

A virada veloz fez Luxemburgo mudar seu time, mas antes tivesse deixado como estava. Marcelo Moreno, que apareceu com cara fechada no banco no primeiro tempo, entrou aos 18 no lugar de Leandro e foi expulso 43 segundos depois, ao dar uma cotovelada no rosto de Sobis. Marquinhos tambem entrara no lugar de Fernando, mas os planos do técnico do time gaúcho já estavam prejudicados. Mesmo assim, ele ainda tentou nova modificação, aos 26, pondo o potente chutador Léo Gago no lugar de Elano.

Se com 11 já é difícil derrotar o Fluminense, com dez então. O Grêmio não desistia, mas a partida ficou à feição do time carioca, que adora jogar no erro adversário. Mas foi em jogada de brilho que quase o Flu aumenta a vantagem, aos 29: Deco serviu Fred na esquerda, dentro da área, mas o artilheiro tocou por cima do gol. Dois minutos depois, Anderson pico chutou de fora da área e assustou Cavalieri, mas a bola foi para fora, perto do ângulo esquerdo do goleiro.

Quando a vitória parecia certa, o Flu não encaixava contra-ataques e acabou castigado. Léo Gago bateu falta da intermediária com força e efeito, Cavalieri defendeu parcialmente, e a bola acabou sobrando para Zé Roberto empatar mais uma vez: 2 a 2. Se o empate praticamente tirou o Grêmio da disputa do título, pelo menos ficou a impressão para o time gaúcho de ter conseguido um resultado heroico. Para o Flu continua a sensação de que o campeonato está próximo, apesar de um pingo de tristeza pelo empate cedido no fim.

 

 

Globoesporte.com