João Pessoa 22/06/2018 22:21Hs

Início » Destaque » Lula vai ao STF para tentar impedir prisão

Lula vai ao STF para tentar impedir prisão

Defesa pede julgamento na 2ª Turma

Congesso Nacional do PC do B, que contou com a presença do ex-Pres. Lula da Silva. A Manuela DÁvila foi lancada candidata do partido a preisdencia da República. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

A defesa do ex-presidente Lula apresentou na noite desta 6ª feira (2.fev.2018) 1 habeas corpus preventivo (íntegra) para tentar impedir que o petista seja preso antes de analisados todos os recursos aos quais o político tem direito nos tribunais superiores.

O mesmo pedido foi feito pela defesa nesta semana ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), mas foi negado pelo vice-presidente da Corte, ministro Humberto Martins.

“Somente resta ao cidadão Luiz Inácio Lula da Silva bater à porta desta Suprema Corte, guardiã precípua da Constituição, para ver assegurada a eficácia de suas garantias fundamentais, notadamente a seu status dignitatis et libertatis e a presunção constitucional de inocência, instituída em cláusula pétrea na Lei da República”, diz 1 trecho da peça.

Os advogados querem evitar a execução provisória da pena imposta ao ex-presidente. Ele foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão pelos juízes da 8ª Turma do TRF-4 (Tribunal regional Federal da 4ª Região).

Na semana passada, durante o julgamento de uma apelação do petista, o relator da Lava Jato no TRF-4, João Pedro Gebran Neto, determinou que Lula comece a cumprir sua pena depois de julgados os recursos pendentes na 2ª Instância. Desde fevereiro de 2016 o STF permite a execução provisória da pena.

Os advogado pedem uma decisão provisória para garantir a liberdade do ex-presidente até o trânsito em julgado da condenação. Solicitam que essa liminar seja apreciada pela 2ª Turma. A decisão caberá ao relator, ministro Edson Fachin.

Além de Fachin, a 2ª Turma é composta por Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Dias Toffoli. O relator pode acatar o pedido da defesa, decidir monocraticamente ou levar a discussão ao plenário.

Caso não seja concedida a liminar para manter Lula em liberdade até o trânsito em julgado da condenação, os advogados solicitam que Lula fique solto pelo menos até a análise de 1 eventual recurso no STJ.

LULA CONDENADO

Os 3 juízes da 8ª Turma do TRF-4 decidiram em 24 de janeiro manter, por unanimidade, a condenação do ex-presidente Lula, 72, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

Também em decisão unânime, os magistrados aumentaram a pena do petista de 9 anos e 6 meses de prisão para 12 anos e 1 mês. A pena anterior havia sido fixada pelo juiz Sérgio Moro na 1ª Instância.

Com o resultado, as possibilidades de recurso da defesa de Lula na 2ª Instância ficaram restritas aos embargos de declaração.

Somente após o julgamento dos embargos pelo TRF-4 é que o processo retornará ao juízo de 1º grau, no caso ao juiz Sérgio Moro, que poderá expedir o mandado de prisão contra o petista. A defesa tenta manter a liberdade de Lula enquanto for possível recorrer ao STJ e ao STF.

Poder360