João Pessoa 19/07/2018 23:12Hs

Início » Destaque » Novo prefeito de Cabedelo nega ingerência de Leto e garante exonerar cargos de R$ 10 mil

Novo prefeito de Cabedelo nega ingerência de Leto e garante exonerar cargos de R$ 10 mil

Eleição de Victor Hugo foi questionada pela oposição

Novo presidente da Câmara deve assumir prefeitura nesta quarta-feira (Foto: Arquivo)

O vereador Victor Hugo, novo presidente da Câmara Municipal de Cabedelo deve assumir ainda nesta quarta-feira (04) a prefeitura da cidade interinamente. Ele garante que a primeira ação de sua gestão será exonerar todos os servidores públicos que estiverem recebendo mais que R$ 10 mil.

“Minha primeira atitude como prefeito é acabar com os cargos de CC1 de mais de R$ 10 mil na Câmara Municipal. Cabedelo não pode ficar sem rumo. A cidade está aflita e agora é momento de serenidade”, disse o vereador.

A eleição de Victor Hugo para a presidência da Câmara foi questionada pela oposição, que afirmou que vai entrar na justiça contra a decisão. O presidente afirmou que reconhece o direito da bancada e que vai conversar com os vereadores.

“Este será o meu segundo ato como prefeito: receber a oposição para conversar. Eu fui eleito, é bom deixar claro, como representante da oposição. Fiz a composição e hoje sou da situação. Tudo o que foi conversado para que eu fosse eleito foi feito dentro da lei. Conversei com os suplentes ontem, em um restaurante, para apresentar minhas propostas. Não há nada de irregular nisso”, disse.

Questionado se Leto terá alguma influência dentro da gestão, Victor Hugo foi taxativo. “Não haverá ingerência nenhuma de Leto Viana, até porque ele está impossibilitado de faze-lo. Criaram que eu teria me reunido com o filho de Leto. Nem o telefone dele eu tenho”, explicou.

Apesar de Leto não ter influência, o secretariado do novo prefeito não deverá mudar muito nis primeiros dias. “Preciso ficar em par do que está acontecendo. Alguns secretários foram afastados e preciso saber quem são. Mas agora a gestão atenderá às necessidades do povo, e não de empresários e de interesses escusos”, concluiu.

ClickPB