João Pessoa 20/06/2018 09:28Hs

Início » Destaque » Para compensar corte, ministro tenta liberar R$ 3 bi em restos a pagar para o Minha Casa, Minha Vida

Para compensar corte, ministro tenta liberar R$ 3 bi em restos a pagar para o Minha Casa, Minha Vida

Cheque pré-datado Para compensar o corte de R$ 1,2 bilhão no orçamento do Minha Casa, Minha Vida em 2018, o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, negocia com o Planejamento a liberação de R$ 3 bilhões como restos a pagar. A ideia é que o valor fique disponível ainda esta semana e garanta a continuidade das obras em 150 mil imóveis para pessoas de baixa renda. A negociação tem um componente eleitoral: o governo vai trabalhar no próximo ano na ampliação dos programas sociais.

Volto já Baldy, que assumiu o Ministério das Cidades em novembro, avisou a aliados que será candidato em 2018 e deve deixar a pasta até o final de março. Ele trabalha com um cronograma intensivo de inaugurações e projetos de curto prazo.

Mãozinha A descoberta de petróleo em seu território fez a Guiana propor ao Brasil um acordo de cooperação e facilitação de investimentos em petróleo e gás.

Vem que tem Estima-se que, em 2020, o país produza 100 mil barris por dia e, em 2022, o dobro. O Brasil foi procurado para ser o parceiro externo na exploração.

Boca fechada Daniel Bialski, advogado de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, rechaça especulações de que seu cliente pense em delação premiada.“Vários já provaram que as acusações eram falsas. Paulo será mais um. Ele não propôs e não tem motivo para fazer delação”, diz.

Timing Pessoas próximas ao empresário Adir Assad, apontado como o operador que ajudou a desviar recursos de obras paulistas para o caixa dois das empreiteiras e para Paulo Preto, não acreditam que a ressurreição do escândalo do cartelem São Paulo possa dar novo fôlego à sua tentativa de fechar delação.

Timing 2 Preso em outubro de 2016, Assad decidiu colaborar com a Lava Jato no início de 2017, mas sentiu que o interesse dos procuradores esfriou, especialmente depois das revelações feitas pela Odebrecht.

Antecedentes O juiz Glaucenir Silva de Oliveira, apontado como autor de um áudio com ataques ao ministro Gilmar Mendes, foi parar numa delegacia de Campos dos Goytacazes em 2013, acusado de agredir uma guarda de trânsito que o multou por não usar cinto de segurança.

Antecedentes 2 De acordo com a imprensa local, uma testemunha afirmou que o juiz botou o “dedo na cara” da agente e a xingou. O magistrado ainda teria avisado que estava armado. A oficial confirmou a agressão e disse que Glaucenir chegou a segurá-la pela farda.

Justa causa O juiz afirmou que estava sem cinto porque, alvo de ameaças, precisava ter mobilidade para se defender caso sofresse um ataque no trânsito. Ele apresentou queixa contra a guarda por desacato.

Tudo planejado Auxiliares do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) trabalham para burilar o discurso que ele usará para rebater eventuais críticas por ter atuado no governo Lula.

Esse cara sou eu Meirelles foi aconselhado a dizer que pilotou a economia em uma das fases mais auspiciosas do país e que, quando saiu, tudo desandou.

Roupa nova O PT articula para o dia 13 de janeiro, um sábado, a transformação das sedes do partido em comitês de defesa da candidatura de Lula. A ideia é promover atos em todos os Estados do país.

Procura-se Após o rompimento com Antonio Palocci, o PT busca novos nomes para investir em Ribeirão Preto, cidade que ele administrou por dois mandatos. A aposta é o professor de direito Gustavo Assed, ex-presidente do Botafogo na cidade.

1º.jan.2003, Aloizio Mercadante, Marisa Letícia, Lula e Antonio Palocci brindam o Ano Novo no hotel Blue Tree, em Brasília

Por: Juca Varella/Folhapress 2017-09-29 12:43:18

Pelas beiradas O cartola deve ser candidato a deputado estadual pelo partido.


TIROTEIO

Em 2018, pouco importará quem vai prender ou quem vai mandar soltar. O veredito final será dado pela sociedade, nas eleições.

DO DEPUTADO SILVIO TORRES (SP), tesoureiro do PSDB, que minimiza a possibilidade de interferência do Judiciário na disputa do ano que vem.


CONTRAPONTO

Prioridades

Na terça-feira (19), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), havia acabado de chegar ao plenário da Casa para conduzir a última sessão do ano quando foi interpelado pelo deputado Chico Alencar (PSOL-RJ):

— Presidente, feliz Natal e próspero Ano-Novo! Vossa Excelência já cortou o cabelo. Agora, vá para o aconchego de seu lar. O lobby familiar é o mais importante!

— É isso — respondeu Maia, que emendou:

— Mas nós temos quatro urgências para votar aqui. E a primeira urgência é justamente a do lobby! — lembrou, referindo-se ao projeto de lei que regulamenta a atividade no país.

Folha de São Paulo