João Pessoa 26/04/2018 13:32Hs

Início » Câmara em foco » Professores de Santa Rita recorrem à Assembleia Legislativa-PB em audiência pública discutir situação do servidor

Professores de Santa Rita recorrem à Assembleia Legislativa-PB em audiência pública discutir situação do servidor

A gestão Panta congelou os salários dos Professores de Santa Rita desde 2017/2018, professores estão recenbendo salário retroativo ao salário da gestão de 2016, sem reajuste e terço de férias.

Com défict salarial jamais visto em toda a história da gestão pública de Santa Rita-PB, adotada pela gestão do prefeito tucano Emerson Panta (PSDB), desde que  iniciou sua gestão em Janeiro de 2017, desestruturou a vida de todos os servidores da prefeitura abrindo um prescedente de pior gestor com salários congelados, redução de salários de professor P1, sem conceder nenhum reajuste, atraso no benefício de terço de férias que acumulou 2017 e 2018,, descumprimento da carga horária de 17 horas sala de aula para 25 horas, corte de gratificações, afora a perseguição e o assédio moral aos servidores, além do prefeito Panta se esauri do debate, a única solução do sindicato dos servidores foi recorrer a comissão de educação da assembleia legislatica da Paraíba para tentar uma solução em uma Audiência Pública que está confirmada para o dia 12 Abril de 2018, próximo.

Com dificuldade até das respostas dos ofícios enviados pedindo informações e solicitações de documento público do sindicato a secretaria de educação de Santa Rita, da pessoa Edilene Santos, que tem inviabilizado o diálogo nas discussões pertinentes a educação e dos direitos dos servidore e que não cumpre com nada e que a educação de Santa Rita pede socorro que anda capengando com as pernas quebradas, que em 2017 os recursos transferidos para Santa Rita comprovou Superávit e que a gestão Panta não concedeu o que era de direito do servidor e não foram investidos nenhum centavo nas unidades de escolas e creches da zona urbana e rural do município, os professores em assembleia geral decidiram adiar a terceira greve e após a realização nos próximos dias da audiência pública com deputados da assembelia legislativa e ficará provado que no município não existe crise e o prefeito Panta realiza festas com licitações milionárias, o lixo mais caro da Paraíba com uma população inferior a Campina Grande, passagens áreas e contratação de servidor a peso de ouro, que se quer, existem esses postos de trabalho na prefeitura para suportar tanta gente e não cumpre com os direitos dos servidores, que em Santa Rita existe salários atrasdos ainda desde a gestão de 2016 e a gestão insiste em não efetuar o pagamneto que ninguém possui informação de quando será pago e que o prefeito Panta foi ao Rádio e TV e firmou compromisso e que nunca cumpriu que ele não dá explicação aos servidores e nem tão pouco abrir o diálogo para viabilizar uma forma de pagar, disse a sindicalista Lêda Santos.

“A gestão do prefeito Panta ficou conhecida na história como a pior administração que não gosta de pagar a ninguém, reduziu salários, e foi a única no Brasil que servidor realizou sessão itinerantes nos bairros para levar ao conhecimento do servidor e da população na prestação de serviço que já está sendo considerada piuor que seu aliado Netinho, com isso, logo após a audiência com a assembleia legislativa do estado, as próximas metas dos servidores já aprovada em assembleia a serem atingidas serão o Ministério Público local, Fórum da cidade, a Promotoria da República e o Tribunal de Justiça da Paraíba, para chamar atenção dos poderes, Instituições e Órgáos fiscalizadores, que em Santa Rita está pior que a ditadura militar que na ação judicial recentemente que suspendeu a greve sem declarar ilegal e que na fala do autor o Juiz recomendava a não descontar os dias que os servidores paralizaram as atividades  e a gestão ignorou e descontou nos contracheques dos servidores causando mais revolta e indignação”, denunciou Lêda Santos.

Por fim, a sindicalista revelou ainda, os ataques da gestão Panta que se estendeu até aos aposentados e pensionistas da prefeitura reclamando na reduçaõ de salários que atinge também os servidores da ativa que estão concluindo o ciclo da carreira pública e quando se dirigem ao instituo de previdência da prefeitura para requere aposentadoria  a direçaõ do órgão quer utilizar uma tabela que reduz o salário de até 50% segundo os servidores que chegam  no sindicato com o cálculo em mãos e 90% deles que se sentem prejudicados estão adiando a aposentadoria e recorrendo a justiça, principalmente os servidores que ingressaram no serviço público antes da constituição de 1988,

A direção do sindicato informar ainda aos servidores das secretarias de educação, sáude, bem estar social, servidores sede da prefeitura, trânsito e tributos que vários servidores estão com msalários de 2017 e terço de férias atrasdos e salários defados. A audiência pública acontece no dia 12 de Abril, às 09 horas na sede do sindicato na Juarez Távora 370.

Venha compareça, essa é a única oportunidade