João Pessoa 20/06/2018 14:59Hs

Início » Destaque » Programação religiosa conta com procissões e missas em João Pessoa

Programação religiosa conta com procissões e missas em João Pessoa

A informação foi revelada durante o programa FOX Sports Rádio desta quarta-feira (6 de dezembro) Advertisement: 0:22

Festas de Nossa Senhora da Conceição: Destaque para as Procissões no Centro Histórico de João Pessoa

A Arquidiocese da Paraíba tem 11 Paróquias (sendo duas Paróquias/Santuários), 1 Pró-Paróquia e 1 Santuário com Nossa Senhora da Conceição como Padroeira. Destacamos aqui a programação realizada no Varadouro, em João Pessoa. O tema da Festa neste ano é: “Maria, Mãe da Divina Caridade, rogai por nós!”. A programação começou no dia 29 de novembro e se estende até o dia 8 de dezembro.

Dia 08/12 (no Centro Histórico):
7h: concentração dos fiéis no adro da igreja de São Frei Pedro Gonçalves (ao lado do Hotel Globo). Todos vão sair em Procissão com o andor com a imagem da Santa até o trapiche do Porto do Capim. Em seguida, a Procissão segue pelo Rio Sanhauá até a Ilha da Santa, onde vai ser celebrada a Santa Missa, com o Pe. Alexandre Magno Jardim.

Dia 08/12 (na Igreja Matriz – Rua São Miguel, no Varadouro):
8h: Ofício de Nossa Senhora e Terço Mariano.
9h: Missa Solene, celebrada pelo Pe. Francisco de Assis Azevedo dos Santos.
16h: começa a Procissão saindo da igreja Senhor do Bonfim (na Rua Carneiro Campos, na Ilha do Bispo), passando pela Av. Redenção (parte alta), Praça do Índio, Viaduto IV Centenário, Av. General Lyra (acesso em sentido contrário), Rua Joaquim de Carvalho, Rua Sebastião de Oliveira Lima, Praça 2 de Novembro, Rua São Miguel, encerrando na Rua Índio Piragibe (na lateral da Igreja Matriz), com Missa celebrada pelo Pe. Alexandre Magno Jardim.

No dia 8 de dezembro a Igreja Católica lembra, solenemente, a Imaculada Conceição de Nossa Senhora. Vários padres e doutores da Igreja oriental, ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus, usavam expressões como: “cheia de graças” e “mais pura que os anjos”. Já a Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha uma certa dificuldade em aceitar o mistério da Imaculada Conceição. Foi o franciscano e teólogo Duns Scoto, no século XIII, quem tirou a dúvida ao mostrar que era conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois era Maria destinada a ser a mãe do Filho dele. Isso era possível para a Onipotência de Deus; portanto, Deus, de fato, a preservou.
Então, rapidamente, a doutrina da Imaculada Conceição de Maria foi introduzida no calendário romano. A própria Virgem Maria, em 1830, apareceu a Santa Catarina de Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”. E quatro anos depois que a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma, em 1854, através da Bula “Ineffabilis Deus”, do Papa Pio IX, “Maria isenta do pecado original”, a própria Virgem, na sua aparição em Lourdes, confirmou a definição dogmática dizendo para Santa Bernardete Soubirous: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

Pascom