João Pessoa 20/09/2017 09:17Hs

Início » Destaque » Santa Rita: Acuado contra servidores, prefeito Panta faz politicagem com chapéu alheio com salários atrasados.

Santa Rita: Acuado contra servidores, prefeito Panta faz politicagem com chapéu alheio com salários atrasados.

A nota precatória foi da prefeitura de Santa Rita foi vitoriosa na gestão do prefeito Netinho e liberado agora para pagamento.

Sem nenhum mérito da Gestão Panta de Santa Rita-PB, pelo pagamento de salários atrasados dos servidores que receberam em partes seus salários trabalhados da gestão passada e que foram excluídos no referido pagamento os setores da saúde e sede da prefeitura, que foi dito pelo próprio prefeito. O pagamento dos atrasados foram efetuados com os 40% dos precatórios do FUNDEF dos professores e que se estendeu aos inativos e pensionistas que se utilizou do fundo do IPREV, que foi arrecadado de Janeiro a Junho, e que, para isso, tentou denegrir e jogar a população de Santa Rita contra o sindicato de servidores que a população ficou atenta com o sofrimento dos funcionários que sofrem a anos e que acada dia os servidores estão fortalecidos.

Para isso, o prefeito Panta tentou nas emissoras de rádios um dia antes dos de sair a decisão do precatório e tentar culpar o sindicato que impetrou uma ação impedindo que o pagamento fosse realizado e que o seu procurador disse no Sistema Correio que a ação seria integral, e no dia seguinte se esquivou com medo e que o prefeito se apresentou fazendo um verdadeiro estardalhaço foi o prefeito Panta que após falação se utilizou dos outros veículos de comunicação que toda a cidade escutou e sabe que não é verdade, e que ele admitiu que os 60% do FUNDEF está sub judice aguardando sentença, mentiu mais uma vez o prefeito Panta, que ficou acuado no Correio Manhã e não respondeu a sindicalista.

Conforme a sindicalista ressaltou ainda quem é responsável pelo o que aconteceu com o município foi as gestões irresponsáveis e não os servidores, que cumpre com a prestação de serviço para alavancar o crescimento e o desenvolvimento da cidade, e que a gestão Panta insiste em punir os servidores com o tráfico de influência de sua Tia professora aposentada na secretaria de educação implantando o terrorismo que já estamos provocando o Ministério Público Federal, que se quer ela pode estar todos os dias em espaço público, sem portaria perseguindo os servidores e enquanto a gestão insistir em retirar direitos que foram conquistados em Lei, iremos sempre defender e utilizar dos meios necessários para defender o servidor que trabalha e serve a população, disparou Lêda dos Santos.

Contudo ainda, o prefeito Panta trava mais um imbróglio com os servidores da saúde que foi uma bandeira de sua eleição que tinha como prioridade na área de saúde de Santa Rita, que deixou de fora dos pagamentos atrasados os servidores nesta sexta-feira (14) e sem anunciar uma data fixada além de vetar os projetos do PMAQ que beneficiavam os servidores e a criação do décimo quarto salário dos servidores, forçar os servidores a ampliar carga horária de trabalho sem as referidas gratificações e corta as gratificações de agentes de saúde devido as unidades de saúde estarem interditadas que não foram os verdadeiros culpados e que o prefeito não escuta ninguém e que segue o modelo da gestão tucana governar, lembrou a sindicalista Lêda.

Por fim, o prefeito Panta descaradamente disse que o sindicato fazia “politicagem”. Sindicato defende direitos  trabalhados dos servidores da edilidade, e que o FUNDEF deixou de ser repassados ao magistério entre os anos 2003 a 2006. Os salários atrasados de 2016 foram trabalhados prefeito Panta juntamente com o dos professores que é pago pelo governo Federal, e que não foram repassados em nossos contra cheques e que foi efetivamente cumprida que no período eleitoral sua gestão tinha uma proposta de uma política valorização salarial para os servidores que os senhor prefeito após assumir o comando da prefeitura de Santa Rita mudou em 1º Janeiro, que ao completar sete meses de gestão não efetuou os reajustes de piso salarial do governo Federal, o terço de férias, reajuste de magistério e pessoal de apoio da educação  e que descumpre o PCCR da saúde e educação e quer retirar direitos e assombrar os servidores com a perseguição na administração que todos os servidores e a população já perceberam o modelo de gestão que os servidores estão unidos e que apenas é o início de uma guerra que começa e que as pequenas batalhas foram conquistadas pelos servidores, finalizou Lêda.

Lamartine do Vale