João Pessoa 26/05/2018 06:24Hs

Início » Destaque » Servidores da educação em assembleia no Sinfesa decidem por reajuste 8,8% em Santa Rita

Servidores da educação em assembleia no Sinfesa decidem por reajuste 8,8% em Santa Rita

Servidores que fazem o apoio da educação reivindicam um reajuste de 8,8% e dobra de carga horária

IMG_20150326_110016864[1]Em assembleia geral ordinária realizada nesta última quinta-feira (26) os servidores que fazem o apoio da educação de Santa Rita aprovaram por unanimidade uma proposta de reajuste salarial de no mínimo 8,8% que a categoria vai reivindicar do executivo municipal, para tanto foi discutido carga horária ( dobras ) para professor P1 e P2 e horário corrido de todas as secretarias.

Na assembleia geral ordinária, vários pontos foram colocados em pauta na discussão conforme manda o estatuto que, os quais, foi votado e aprovado por sua maioria o conselho fiscal sindical, haja vista, após aprovação do conselho justifica a fundação do sindicato e reconhecimento pelo Ministério do trabalho, pelos quais o poder executivo por perseguição aos atos sindicais em defesa dos servidores não recolheu os descontos em contra cheques dos servidores como manda estatuto em lei federal, justificou José Farias.IMG_20150326_104843739[1]Na pauta ainda foram discutidos carga horária dos professores P1 e P2 e de todos os servidores de todos os setores da prefeitura, que na próxima terça-feira (31) a direção do sindicato vai se reunir com o secretário de educação para iniciar a discussão da proposta de aumento salarial da categoria do magistério que de início é de 13% , inclusive quando fixar a carga horária será definida também a questão dos servidores que possuem duas (2) matriculas, que os aumentos salariais e das demais categorias virão consequentemente negociados em mesa redonda, disse o sindicalista.IMG_20150326_100248569_HDR[2]Os professores questionaram na discussão a dobra de carga horária para professores que o gestor atentou para contração que tem prejudicado o município em de 40% da vacância dos cargos que não estão atendendo a demanda das escolas, que em outubro de 2014, o ministério público aconselhou que fosse exonerado os cargos comissionados para execução de um concurso público e com o retorno do gestor mudou totalmente o rumo das negociações e a população estudantil ficou prejudicada, denunciaram os professores.IMG_20150326_100334203_HDR[2]Conforme o professor Valdir Lima da escola Índio Piragibe, que expressou voto de repúdio a gestão Reginaldo Pereira pelo fato de que na sua escola existe uma demanda das disciplinas de geografia e artes e ciências e ainda com a falta de merendeiras e auxiliares de serviços pelos quais defendeu a dobra de carga horária que já teria conversado entre sindicato, ministério público e prefeitura até a lançar o edital de concurso público em junho 2015, ressaltou o professor.

O presidente José Farias disse ainda vai provocar no Ministério Público os mais de 500 cargos comissionados que o prefeito Reginaldo Pereira nomeou em diário oficial com cargos de assessoria especial de três níveis, e as escolas prejudicadas e na sua maioria sem professores que os alunos chegam as 07hs da manhã e após intervalo vão embora até mesmo pela falta de merenda escolar, que o recurso é repassado e que não tem chegado ás escolas sem alimentação como está sendo denunciado pelos pais e população, frisou José Farias.——————————-    Bloco de nomeações do prefeito Reginaldo Pereira —————————IMG_20150326_105133551[1]Por fim, os servidores exigiram uma nota repúdio do sindicato ao secretário de educação de Santa Rita, o Sr. Francisco de Paula Aguiar, por assédio moral a uma professora por duas vezes, pelos quais ficou definida em assembleia que a próxima semana a pessoa prejudicada vai à secretaria da mulher, após representa-lo criminalmente, a professora não quis revelar sua identidade.ASSEDIO-MORAL1

Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.