João Pessoa 19/11/2017 19:23Hs

Início » Destaque » Servidores protestam pelas ruas de Santa Rita, em busca de salários atrasados e reajustes contra gestão Panta.

Servidores protestam pelas ruas de Santa Rita, em busca de salários atrasados e reajustes contra gestão Panta.

Servidores caminham pelas ruas da cidade em protestos contra o prefeito Panta que se nega a reajustar salários e se encontra em viagem internacional

Após realização de uma assembleia geral no sindicato dos servidores nesta quinta-feira (18), servidores decidiram  reivindicar pelas ruas da cidade por quatro meses de salários atrasados, reajuste de piso salarial e do MEC com destino á Câmara de Santa Rita para pedir apoio que interceda pelas negociações que até o presente momento a gestão do prefeito Panta não se pronunciou e se omite em dialogar com o sindicato e os servidores de todas as categorias.

Uniformizados de preto servidores de Santa Rita protestam contra ao prefeito de Santa Rita, pela redução de salários de professores P2-B, além de enviar á Câmara Municipal de Santa Rita projeto de Lei que viabiliza negociação com recursos do antigo FUNDEF (DE 2003 a 2006), que não foram repassados aos professores dos 60% que ele quer usar para efetuar pagamento atrasado da gestão anterior.“Existem outros meios e formas para quitar salários atrasados como a folha de pagamento de pessoal a qualquer banco ou contrai empréstimo com a autorização da Câmara de Santa Rita, o protesto se estende também pela determinação de carga horária em dois turnos trabalhados que possui aprovada em 2012 que determina seis (6) horas corrido e pelo cumprimento de uma pauta de reajuste que o atual prefeito insiste em ignorar que é de responsabilidade da gestão”.

A pauta de reivindicação do servidor:

1 – Melhores condições de trabalho;

2 – Atualização de salários;

3 – Pagamento 1/3 de férias;

4 – Respeito à carga horária, garantida em Lei para todos;

5 – Repasse salarial do pessoal de apoio geral;

6 – Repasse percentual piso Magistério;

7 – Adicional Insalubridade Saúde e Educação;

8 – Cumprimento do PCCR – Saúde;

9 – Cumprimento do PCCR – Educação;

10 – Indicativo de Paralização e Greve;

11 – Pagamento de Salários de servidores contratados.

Servidores revoltados e indignados pela postura e comportamento da gestão que não dialogam com ninguém e a palavra de ordem é perseguição e terrorismo psicológico os servidores aprovaram também paralização com indicativo de greve até que a gestão decida pelo discussão da pauta de reajustes com a categoria.

Lamartine do Vale