João Pessoa 16/07/2018 23:45Hs

Início » Câmara em foco » “Uma formiga de pequeno porte carregava toda documentação da CPI’s, o requerimento é genérico”: Disse Anésio após revogação

“Uma formiga de pequeno porte carregava toda documentação da CPI’s, o requerimento é genérico”: Disse Anésio após revogação

Conforme o vereador Anésio Miranda o requerimento era genérico que acumulava vícios e não continha uma lauda que uma formiga não teria trabalho de carregar, disse.

“Uma formiga de pequeno porte carregava toda a documentação da CPI, o documento é genérico e cheios de vícios”, foi o que disse o vereador Anésio Miranda (PSB), na tribuna da Câmara de Santa Rita-PB, quando defendeu a matéria das CPI’s pelo seu arquivamento e revelou que o pedido para instaurar a comissão processante de inquérito que possívelmente iria investigar o prefeito Panta não existia nenhuma prova, como tanto prazos, períodos e datas definidas para prosseguimento das investigações pelos quais o requerimento não mostrou nenhuma prova indicária que comprometesse a gestão do prefeito Panta, daí Portanto, a maioria dos vereadores decidiram pelo arquivamento da mesma, revelou.

De acordo ainda, com o Anésio Miranda afirmou que a ansiedade dos vereadores de oposição para isntaurar a comisssão parlamentar de ínquérito levou a erros gravíssimos e que os parlamentares nesta casa com experiências de vários mandatos não podemos agir levianamente pela emoção em instalar uma CPI para prejudicar qualquer gestor, com isso, nos debruçamos sobre o requerimento e observamos no começo atos inconstitucional e a  maioria dos vereadores na apreciação da matéria opitaram np voto pelo arquivamento, desde já, fica a crétério de quaisquer vereador reapresentar a mesma em qualquer período desde que apresente indícios de supostos crimes para que à Câmara possa investigar dentro da constitucionalidade, declarou o vereador socialista Miranda..

O socialista Anésio Miranda explicou que a expressão de que uma formiga de pequeno porte carregava a documentação da CPI foi por que para instaurar uma comissão processante para apurar fatos e provas em uma investigação é preciso um fato detreminante  como apresentar uma nota fiscal, desvios de recursos, balancetes, uma cópia de licitação, e nada disso foi requerido para sua instaraução que comprovasse a gastos execessivos e que apenas uma folha de ofício com pedido para a sua instalação que foi um fator preponderante para o seu arquivamento, justificou Anésio Miranda.

Lamartine do Vale