João Pessoa 25/05/2018 12:46Hs

Início » Economia » Tensão política faz dólar fechar a R$ 3,129, maior cotação desde junho de 2004

Tensão política faz dólar fechar a R$ 3,129, maior cotação desde junho de 2004

Bolsa cai 1,60%. Nas casa de câmbio, moeda americana chega a R$ 3,56

dolar sobe mais 3,12SÃO PAULO – A tensão política no Brasil e sinais de desaceleração na China pressionaram o dólar comercial nessa segunda-feira. A moeda americana fechou em alta de 2,35%diante o real, cotada a R$ 3,127 na compra e a R$ 3,129 na venda, maior valor desde o dia 28 de junho de 2004. Na máxima do pregão, a divisa chegou a ser negociada a R$ 3,134. No mês, a moeda americana sobe 9,55% e, nos últimos 30 dias, de 12,63%. Considerando o acumulado do ano, a apreciação da divisa é ainda maior, 17,54%. Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), registrou queda de 1,60%, aos 49.181 pontos, nos ajustes finais do pregão. A alta refletiu nas casas de câmbio, onde a moeda chega a custar R$ 3,56.

Na avaliação de analistas, a questão política deve prevalecer nessa semana. Na sexta-feira à noite, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki divulgou os pedidos de abertura de inquérito feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Ao todo, são 49 políticos, incluindo aí o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB), e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).

Na avaliação de Luciano Rostagno, estrategista chefe do Mizuho Bank, o comportamento do dólar foi influenciado nessa segunda-feira, principalmente, por fatores internos.

— Há a preocupação de que o governo possa não ter força política para levar adiante as medidas fiscais necessárias para colocar as contas do governo em uma trajetória sustentável. Isso faz o dólar subir, já que o risco de um rebaixamento pelas agências de avaliação de risco está aumentando — diz, lembrando que a inclusão dos nomes de Calheiros e Cunha na lista de Janot aumentam ainda mais a turbulência no cenário político.

O analista técnico da Guide Investimentos, Lauro Pilares, avalia que a tendência é de alta para a moeda.

— O contrato futuro com vencimento no dia 1º de abril já está sendo negociado a R$ 3,14 — afirmou.

Já no campo econômico, os investidores repercutem a nova projeção do relatório Focus, em que o Banco Central compila as projeções de dados econômicos feitas por bancos e consultorias. A expectativa é que em 2015 o PIB tenha uma retração de 0,66% – ante queda de 0,58% esperada anteriormente.

BOLSA OPERA EM QUEDA

O ambiente político fragilizado também afeta a Bolsa brasileira. O temor de rebaixamento do Brasil teria impacto também nas empresas brasileiras, o que estimula a desvalorização dos principais ativos do Ibovespa.

— Há várias pressões negativas que justificam essa queda. Há uma reação negativa em relação à lista da Lava Jato, o nível de confiança do consumidor está abalado, teve o pronunciamento da presidente, a volta das especulações sobre a situação da Grécia e, além disso, ainda tem a questão inflacionária e do câmbio — explicou Elad Victor Revi, analista da Spinelli Corretora

Os papéis preferenciais (PNs, sem direito a voto) da Petrobras fecharam em queda de 3,24%, cotados a R$ 8,94. Já os ordinários (ONs, com direito a voto) caíram 3,19%, a R$ 8,80. Queda também no setor bancário, o de maior peso no Ibovespa. As ações preferenciais do Itaú Unibanco recuaram 2,77% e as do Bradesco caíram 2,75%. No caso do Banco do Brasil, a queda foi de 3,72%.

De acordo com Revi, a queda mais acentuada nos papéis do setor bancário decorre do processo de revisão das notas de crédito que está sendo feita pelas agências de classificação de risco.

Entre as ações do Ibovespa, uma das maiores quedas foi da Cetip, recuo de 7,75%. Há o temor, entre os investidores, de que as denúncias da operação Lava Jato respinguem indiretamente na empresa. A GRV, comprada pela Cetip, desenvolveu um sistema para o registro de veículos do Denatran. O doleiro Alberto Yousseff, em um de seus depoimentos, afirmou que o esquema de propinas envolveu outras estatais. A Cetip, após o fechamento do mercado, divulgou nota negando envolvimento em atos ilícitos. “A Cetip refuta a associação de seu nome a qualquer suposto envolvimento em atos ilícitos na condução de seus negócios. Face às notícias veiculadas nos últimos dias, cumpre esclarecer que a empresa GRV Solutions foi adquirida pela Cetip em dezembro de 2010, enquanto os fatos relatados teriam supostamente ocorrido anteriormente à aquisição”, afirmou, em nota.

PREOCUPAÇÃO COM CHINA E GRÉCIA

No exterior, há preocupação com os dados fracos do comércio exterior na China, com queda nas importações, e também a volta das tensões entre a Grécia e a União Europeia. Há também a expectativa de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) antecipe a alta de juros.

Na Europa, o DAX 30, de Frankfurt, fechou em alta de 0,27%. Já o CAC 40, da Bolsa de Paris, e o FTSE 100, de Londres, recuaram, respectivamente, 0,55% e 0,51%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones tem alta de 0,95% e o S&P 500 tem variação positiva de 0,48%.

O Globo