João Pessoa 17/08/2018 07:13Hs

Início » Entretenimento » Acadêmicos do Tatuapé inova e apresenta o primeiro rei de bateria do Brasil

Acadêmicos do Tatuapé inova e apresenta o primeiro rei de bateria do Brasil

Com o samba-enredo "É ela, a Deusa da Passarela - Olha a Beija-flor aí gente!", a agremiação homenageou a escola carioca e encerrou a primeira noite de desfiles do Grupo Especial de São Paulo

ORAI POR NÓSA Acadêmicos do Tatuapé encerrou a primeira noite de desfiles do Grupo Especial de São Paulo homenageando uma das maiores escolas do Rio: Beija-Flor de Nilópolis, atual campeã do carnaval carioca.

A  Tatuapé entrou no sambódromo dedicando os primeiros minutos de show aos prêmios que a grande carioca já venceu, mostrando a união da força do branco e azul, cores das escolas.

Em uma apresentação empolgada, a Acadêmicos do Tatuapé não enfrentou dificuldades na evolução do desfile e inovou ao apresentar o primeiro rei de bateria do Brasil, Daniel Manzoni, professor de educação física.

A comissão de frente apresentou uma réplica da Praça da Apoteose do sambódromo do Rio de Janeiro e destacou o casal de mestre-sala e porta-bandeira Selminha Sorriso eClaudinho, figuras importantes da Beija-Flor.

No topo do carro abre-alas, a Tatuapé brilhou com uma escultura de São Jorge, santo padroeiro das agremiações paulista e e carioca.

O segundo carro relembrou o ano em que a Beija-Flor teve seu desfile censurado, em 1989. Com o enredo “Ratos e urubus, larguem a minha fantasia”, a escola exibiu o Cristo Redentor coberto com a frase: “Mesmo proibido, olhai por nós”.

O terceiro carro alegórico homenageou a cidade de Araxá, em Minas Gerais.

O último carro representou a Guiné Equatorial e relembrou os enredos africanos, característicos da Beija-Flor.

Ícone da Beija-Flor, Pinah Ayoub desfilou com a Acadêmicos do Tatuapé
Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas

Ícone da Beija-Flor, Pinah Ayoub desfilou com a Acadêmicos do Tatuapé

As baianas representaram o amor ao samba, elas são as mães do ritmo, e a bateria representou a emoção e comoção que Pinah Ayoub, eterna musa da escola carioca, levou à Beija-Flor. “Meu coração tremeu. É a primeira vez que eu desfilo em São Paulo. Fazemos parte da história da Beija-Flor de Nilópolis, fazemos parte da história do carnaval”, disse a musa emocionada.

Já à luz do dia, a Acadêmicos do Tatuapé concluiu o desfile às 7h52min e não ultrapassou o limite do tempo.

A Beija-Flor já teve uma pequena homenagem neste sábado no desfile da Nenê de Vila Matilde, que teve Cláudia Raia como homenageada.

Vila Matilde, que teve Cláudia Raia como homenageada.

Carnaval do Rio é homenageado em São Paulo. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas
Acadêmicos do Tatuapé. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas
Daniel Manzioni é o primeiro rei de bateria do Brasil. Foto: Reprodução/Twitter
Acadêmicos do Tatuapé. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas
Acadêmicos do Tatuapé. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas
Com ratos, a Tatuapé lembrou o ano em que a Beija-Flor de Nilópolis foi censurada no carnaval. Foto: Reprodução/TV Globo
Acadêmicos do Tatuapé. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas
Joãosinho Trinta foi lembrado em escultura. Foto: Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas
 IG