João Pessoa 14/08/2018 11:14Hs

Início » Cultura » Areia, PB, recebe Caminhos do Frio e Festival de Artes

Areia, PB, recebe Caminhos do Frio e Festival de Artes

zeliaDUCANA Rota Cultural Caminhos do Frio segue para a cidade de Areia nesta segunda-feira (29). Em paralelo à programação do roteiro que passa por seis cidades do Brejo paraibano, a cidade também recebe o Festival de Artes de Areia. Confira a programação completa do Caminhos do Frio e do Festival de Artes.

Até este domingo, o Caminhos do Frio estava em Bananeiras, primeira cidade da rota. A progamação em Areia tem oficinas, teatro e shows musicais. Principal cidade do Brejo da Paraíba, Areaia possui na zona rural mais de 20 engenhos que fabricam aguardente-de-cana, mel e rapadura num ambiente verde, com vales férteis, riachos com cachoeiras de águas cristalinas e clima europeu. No verão a temperatura fica entre 20º e 25º C. A altitude é de aproximadamente 620 metros.

Os dois eventos ficam até 4 de agosto na cidade e trazem artistas como Zélia Duncan, Zizi Possi, A Troça Harmônica, Jackson Envenenado, Lucy Alves, DuSouto, Chico Correa, Sandra Belê, Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba e Sex on the Beach.

Em Areia, o Caminhos do Frio tem como tema “Frio, Cachaça e Arte”. A rota cultural ainda passa por Serraria, Pilões, Alagoa Nova e Alagoa Grande até 1º de setembro.

Teatro
A programação de teatro contará com nomes de impacto nacional e internacional, como a atriz Denise Stoklos, que apresentará o monólogo intitulado “Preferiria Não?”, a Cia XIX de Teatro, que apresentará o espetáculo “Hysteria”, e o Grupo de Teatro da Poli (SP), com o espetáculo “Pode Ser que Seja Só o Leiteiro Lá Fora”, entre outras atrações regionais. Serão realizadas três oficinas: Teatro Experimental, Teatro Escambo e a oficina Hysteria, com o Grupo XIX de teatro, voltadas a artistas iniciantes e profissionais.

Pólos do festival
O Festival contará com 15 pólos, que abrigarão toda a programação, interagindo com os prédios e espaços históricos da cidade de Areia, ocupando e ressignificando os lugares que, por vezes, o cotidiano torna comum. Cada pólo ganhou um nome que interage com o espaço, programação ou o tema do evento.

O Pólo Marinesas será o palco principal, reunindo artistas de renome nacional. O Pólo “Armaria Mainha” será no Circo especialmente montado para o Festival, abrigando as atrações de circo, dança, literatura, teatro e música. No Pólo Fé Menina, na Igreja do Rosário, se apresentarão grupos de música instrumental acústica.

O Pólo Açucena, nas dependências do Colégio Santa Rita, será espaço de discussão sobre a arte contemporânea e também para apresentações teatrais. O Colégio José Américo se tornará o Pólo Vagaluminosas, onde ocorrerão diversas oficinas, mostras audiovisuais, lançamentos de livros, exposições de artes plásticas e a construção de um mural coletivo de grafite. No Pólo Artérias das Artes, no Casarão José Rufino, exposições visuais e ações de divulgação do I Censo Cultural da Paraíba. No histórico Coreto, localizado na Praça Pedro Américo, o Pólo Brincantes Enluaradas abrigará mais exposições visuais e espetáculos de dança e música.

No palco mais antigo do estado, o Theatro Minerva, primeiro da Paraíba, serão realizadas atividades de audiovisual, dança, literatura e teatro, compondo o Pólo Casarão dos Azulejos. A Câmara Municipal de Areia será o Pólo Escrivaninha Secreta, a ser ocupada com literatura, discussões sobre Cultura Popular e programações destinadas  à Economia Criativa e Cidadania da Mulher. Na Praça 3 de Maio, marco histórico da cidade, no Pólo Chão de Mestras se apresentarão diversos grupos de cultura popular, reverenciando as tradições e as brincadeiras do povo. Na EMATER, o Pólo Fuxicarte abrigará o Salão de Artesanato da Paraíba, reunindo artesanatos de diversas técnicas e origens. O Pólo Sala de Griação será no Mercado Central, ambiente gastronômico por essência, e que abrigará a oficina de gastronomia regional.

Outros três pólos serão destinados a atividades de formação, como oficinas. O Pólo Chã da Pia (Comunidade Chã da Pia), o Pólo Chã de Jardim (Comunidade Chã de Jardim), e o Pólo Gravideias, localizado Escola Prof. João Coutinho, serão destinados a realização de diversas oficinas, ligadas as linguagens artísticas ou a outras áreas da Culura. O Pólo Sonoras Erês, no Centro Social Urbano (CSU), receberá a atividade musicalização infantil, programação voltada ao público jovem. Por fim, no Pólo A Véia Debaixo da Cama estará sediada a Secretaria do Festival, utilizando o prédio da Maçonaria, e o Pólo A Casa da Mãe Joana, que servirá como hospedagem alternativa a 60 visitantes do festival.

Fonte: G1PB