João Pessoa 27/05/2018 09:55Hs

Início » Entretenimento » Em ‘Império’, mentira de Magnólia e falsa morte fazem o romance entre José Alfredo e Isis desmoronar

Em ‘Império’, mentira de Magnólia e falsa morte fazem o romance entre José Alfredo e Isis desmoronar

ze alfredo falsa morteComo opostos que se atraem, o doce e o amargo confundem o sabor da paixão entre Zé Alfredo (Alexandre Nero) e Maria Isis (Marina Ruy Barbosa), a “sweet child” de “Império”. Se, por vezes, eles provaram a farta beleza do amor, duas mentiras serão capazes de deixar um inevitável gosto ruim. A primeira é contada no capítulo desta quinta-feira por Magnólia (Zezé Polessa). Com raiva da filha, ela diz ao comendador que a ninfeta ficou grávida de João Lucas (Daniel Rocha).

— Não me surpreendi com essa atitude, pois Isis sempre soube que seus pais não têm limites — confirma Marina, que destaca e deseja: — A mentira abala a relação, mas acredito que o amor que existe ali seja maior e supere as adversidades.

A atriz, aliás, segue a linha boa-moça-de-bom-coração e espera a reconciliação entre a jovem ruiva e seus pais malandros. A perversa invenção, no entanto, cria raízes em Zé. Enfurecido, ele decide tirar satisfações e se perde numa conversa áspera com Isis. No auge, ela provoca, deixando atordoado seu então companheiro de carinhos infinitos. “Não passo de uma vagabunda, uma exploradora, uma periguete”, vocifera, percebendo a armação feita pela mãe.

— Ela fica chateada com a desconfiança do comendador, já que sempre fez tudo por ele e não gosta nem um pouco da atitude de José Alfredo. Isis se sente para baixo, diminuída, e sua paciência chega ao limite — explica Marina, afirmando que tentaria buscar a placidez diante do caos, caso fosse acusada de algo assim: — É chato passar por isso, mas ter a consciência tranquila é o que importa. Não sei como agiria no lugar de Isis, mas tentaria manter a calma e dialogar.

A briga com o comendador, o homem que mudou a sua vida, não é de fácil digestão. O choro da jovem se confirma tão logo ele sai pela porta de casa. As sequências, porém, revelam o retrato de transformação de Isis, que pouco lembra a menina manipulada pelos pais do início da trama.

— Isis é uma mulher decidida e determinada. É romântica, mas ao mesmo tempo não se ilude com as coisas, sabe muito bem o que quer e aonde quer chegar. Ela já vem sinalizando há algum tempo que quer um pouco de distância deles. Tem a personalidade forte, e a sua paciência termina quando sua mãe tenta acabar com o seu relacionamento — pontua a atriz sobre o amadurecimento da personagem.

A confusão de sentimentos entre Zé e Isis abre caminho para o que promete ser a grande prova do amor do casal. Numa mentira arquitetada, o comendador forja a própria morte, deixando, além da jovem, outras duas viúvas inconsoláveis: Marta (Lilia Cabral) e Cora (Drica Moraes), a mulher que foi e a que quer ser.

— O fato de estar brigada com Zé quando ele morre é ruim, mas Isis sabe que não é a responsável por isso. Ela sofre, mas não se sente culpada, pois sabe que o amou muito — reforça Marina que, sem largar a bandeira da paixão, torce para a brincadeira de mau gosto ser superada: — Ela o ama de verdade e acredito que queira continuar com ele depois que a verdade vier à tona.

Extra Online