João Pessoa 18/08/2018 21:55Hs

Início » Entretenimento » Favorito na ‘Dança dos famosos’, Lucas Veloso curte a boa fase após um período de luto: ‘Perdi cinco pessoas no ano passado’

Favorito na ‘Dança dos famosos’, Lucas Veloso curte a boa fase após um período de luto: ‘Perdi cinco pessoas no ano passado’

Era noite de balada quando a estrela de Lucas Veloso brilhou pela primeira vez na “Dança dos famosos”. Na pista, o ritmo embalado por um certo passo eternizado pelo Rei do Pop levantou a plateia, conquistou nota 10 de todos os jurados e jogou luz na direção do jovem, de 21 anos, nascido e criado em Campina Grande (PB). Pisar no salão com o pé direito e hipnotizar os espectadores no embalo do moonwalker sinalizou que nascia ali um dançarino e que um outro movimento irresistível estava por acontecer. Quis o destino que o artista que estreou na Globo em “Velho Chico” (2016) se tornasse um dos protagonistas de uma história de amor acompanhada de perto pelo público, “capítulo” por “capítulo”. O candidato pediu que a professora de dança, Nathalia Melo, de 26 anos, lhe desse as mãos também no baile da vida. Não bastasse a sorte no amor, o rapaz — que tem o humor na veia herdado do pai, o comediante Shaolin (morto no ano passado) — ainda foi campeão na categoria Comédia do Prêmio Melhores do Ano do “Domingão do Faustão”. Esse fã de Michael Jackson, que é também mímico, imitador, músico e artista plástico, celebra o 2017 repleto de conquistas ao posar para a capa da Canal Extra em homenagem ao ídolo no dia em que disputa com Maria Joana e Nicolas Prattes a final do quadro que elevou a sua popularidade às alturas.

Lucas Veloso é um dos destaque da “Dança dos famosos”
Lucas Veloso é um dos destaque da “Dança dos famosos” Foto: Barbara Lopes / Agência O Globo

— Desde molequinho, gostava do Michael, então comecei a imitar os movimentos que ele fazia, que têm forte inspiração na mímica, arte que estudei por seis anos. Meu pai também era fã e fazia um quadro nos seus shows em que se transformava nele e que eu peguei emprestado para o meu espetáculo, “Cócegas no cérebro”. Mas a ideia de colocar o moonwalker na nossa estreia na “Dança” (o ritmo da apresentação inicial foi o “Baladão”) foi da danada da minha professora, que tinha me visto num vídeo fazendo esse número. Deu certo! A partir daí, quase toda dança nossa tem um temperinho do Rei do Pop. Michael criou uma obra de arte que ultrapassa o tempo. É como “Os Trapalhões”, que passam de geração para geração — compara o intérprete do Didico na nova versão do humorístico, papel inspirado no icônico Didi, de Renato Aragão.

Lucas Veloso venceu o prêmio Melhores do ano, do “Domingão do Faustão”, na categoria Comédia
Lucas Veloso venceu o prêmio Melhores do ano, do “Domingão do Faustão”, na categoria Comédia Foto: Barbara Lopes / Bárbara Lopes

Se o astro norte-americano, que saiu de cena em 2009, estará “presente” nos ritmos da grande final — valsa e gafieira —, Lucas faz mistério, mas entrega que sua meta maior não é necessariamente soltar o grito de campeão.

— Todo mundo quer o carro (o prêmio para a dupla vencedora), mas não estou ali para ganhar. Meu único objetivo é divertir a plateia. Vivo para o público. O artista simplesmente não existe sem alguém para comprar um ingresso ou ligar a TV para assisti-lo. Sou disciplinado e gosto de ensaiar, então sempre estive disposto a aprender o que me foi ensinado. E nunca tive pudor em soltar o quadril. Homem rebola, sim! Os que acham que não podem são machistas. Sou seguro da minha orientação sexual, rebolo mesmo — frisa.

Diga-se de passagem, foi em meio a um arrasta-pé que a química entre o humorista e sua partner explodiu.

— Nossa história começou no forró. Já tenho a malandragem porque, na adolescência, só conseguia arrumar uma namoradinha se me desse bem dançando um forrozinho. Tinha que sobreviver, né? (risos). Quando vi aquela menina linda, cheirosa, ficou difícil de me concentrar. Brincadeira. Na verdade, foi muito mais do que isso. Sabe aquela história de o santo bateu? Quero conquistá-la todos os dias — derrete-se, seguido por Nathalia:

— Lucas foi a melhor coisa que aconteceu dentro desta competição. Não tive como fugir de uma coisa que a gente sentiu desde o começo e que foi muito forte.

Lucas Veloso faz um quadro em seu show em homenagem a Michael Jackson
Lucas Veloso faz um quadro em seu show em homenagem a Michael Jackson Foto: Barbara Lopes

A excelente fase pessoal e profissional, no entanto, sucede um período bem conturbado.

— Perdi cinco pessoas no ano passado. Meu pai (em virtude das consequências de um grave acidente de carro do qual foi vítima em 2011), meu segundo pai (o professor Mica Guimarães), dois amigos e um tio. Enterrei meu pai e, cinco dias depois, estava na frente de uma câmera gravando “Velho Chico”. Não tive esse luxo de curtir o luto. Trabalhei, paguei minhas contas, botei comida em casa. Colhi em 2017 o que plantei de bom — observa.

Os primeiros passos na comédia foram dados em meio à dor da tragédia que se abateu sobre a sua família:

— O humor só existe porque existe a tristeza. Amadureci rápido. Talvez minha adolescência não vivida tenha me impedido de fazer besteiras. Tinha tudo para ser um filhinho de papai irresponsável, mas não sou, graças às dificuldades que passei. Foquei no trabalho — conta, completando: — Meu pai, Jim Carrey e Jerry Lewis foram minhas inspirações, mas meu guru foi Tom Cavalcante. Com 16 anos, abria shows dele para plateias de três mil pessoas. Eu era uma porcaria, achava que tinha que decorar o texto e repetir. Tom me ensinou que não era assim, que eu precisava ficar solto no palco. Mas ele falava que eu tinha que apanhar mesmo, que iria fazer um bocado de shows ruins até conseguir fazer um bom. Fui para a estrada, peguei plateias difíceis, mas hoje consigo dominá-las. Na minha carreira, tem berço e tem chão.

A esta fórmula de sucesso, Tom Cavalcante pede que se some um detalhe que faz toda a diferença.

— Apenas somei algumas dicas ao enorme talento do Lucas. Ele é dono de uma capacidade artística que herdou do grande Shaolin. Antes de mais nada, é um amigo pelo qual torço e de quem sou fã. O cara é demais! — elogia o veterano humorista.

Lucas Veloso não tem pudor em rebolar na “Dança dos famosos”
Lucas Veloso não tem pudor em rebolar na “Dança dos famosos” Foto: Barbara Lopes / Agência O Globo

Quando as cortinas se abrem nos teatros e casas de show onde se apresenta, o finalista da “Dança dos famosos” surge sozinho, pronto para arrancar gargalhadas do público. Sozinho? Só aparentemente.

— No palco, me conecto com meu pai e sinto que ele fica ao meu lado o tempo todo. Meu estilo de comédia é próximo ao do dele, trabalho com a equipe que o acompanhava e, exatamente como ele fazia, uso meu melhor perfume e meu melhor terno para me encontrar com aquelas pessoas que saíram de casa para me ver. A figura de meu pai, mesmo em cima de uma cama, sustentava a família. Como tinha contrato com a Record, o fato de estar vivo arcava com todas as despesas. Ele só foi embora quando confiou em mim a ponto de descansar e me deixar cuidando da casa no lugar dele. Sigo o legado que me deixou — acredita.

Lucas Veloso é filho do saudoso comediante, Shaolin
Lucas Veloso é filho do saudoso comediante, Shaolin Foto: Barbara Lopes / Agência O Globo

De malas prontas para trocar Campina Grande pelo Rio, Lucas terá no seu novo lar a companhia da mãe, Dona Laudicéia, outra grande responsável por tudo o que está acontecendo. Foi para vê-la voltar a sorrir, após o acidente do pai, que o então adolescente começou a fazer humor.

— Cuido de minha mãe como se ela fosse minha filha. Levo-a para viajar, para assistir a gravações, shows… Ela vai estar ao meu lado na final da “Dança”. Não aguento ficar muito tempo longe dela, por isso vou trazê-la para morar aqui — conta o músico amador, que toca seis instrumentos: guitarra, piano, bateria, baixo, violino e sanfona.

Formar a própria família também está nos planos de Lucas. Mas esse passo será dado sem apressar o ritmo.

— Quero ser pai. Nem sei se já sou, mas até agora ninguém me ligou dizendo nada nesse sentido. Sei lá, antigamente, dava uns cheiros por aí (risos). Agora estou comportado. Sou um homem fiel. Estou com Nathalia e não tem mais espaço para cachorrada na minha vida. Mas não é o momento de ter um filho. Tenho que me estabilizar, criar um chão para colocar uma família em cima. No futuro, quero dois bacuris. O menino mais velho para me ajudar a afastar os caboclos lá de casa quando a menina estiver com 15 anos e começar a namorar — planeja, sem perder a piada.

Lucas Veloso está namorando a sua professora de dança, Nathalia Melo
Lucas Veloso está namorando a sua professora de dança, Nathalia Melo Foto: Rede Globo/Divulgação