João Pessoa 21/07/2018 22:34Hs

Início » Esporte » Com gol de Alecsandro, Palmeiras estreia com vitória

Com gol de Alecsandro, Palmeiras estreia com vitória

Verdão venceu o Botafogo por 2 a 0, gols no segundo tempo marcados pelo centroavante e por Dudu

dudu gol verdão 715Dudu marcou o segundo gol do Palmeiras 

A torcida palmeirense compareceu em bom número no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, e estava pegando no pé de Alecsandro. Mas o centroavante contou com a ajuda do goleiro Neneca, que acabou empurrando para o gol uma cabeçada do atacante para abrir o placar. E a festa verde ficou completa com Dudu aproveitando lançamento de Robinho da defesa para definir a vitória por 2 a 0 do Verdão sobre o Botafogo, neste domingo, pela primeira rodada do Campeonato Paulista.

O primeiro gol de um jogo fraco tecnicamente saiu aos 15 minutos do segundo tempo. Fernando Prass deu chutão, ainda uma tônica desta equipe, e a bola sobrou para Lucas cruzar com precisão na cabeça de Alecsandro. Neneca espalmou no travessão e, na volta, a bola bateu em sua mão, entrando na meta. Aos 41, com o time pressionado, Robinho lançou da intermediária defensiva para Dudu fechar o placar.

Ainda sem convencer, e sofrendo com o cansaço e a bola aérea do Botafogo, o Palmeiras conseguiu estrear somando três pontos e assumindo a liderança do grupo B, à frente do Novorizontino, que empatou por 2 a 2 diante do Linense, fora de casa, neste domingo. Completam a chave o São Bernardo e o Ituano, ambos com um ponto, e a Ponte Preta, com zero.

O Verdão volta a campo às 21 horas (de Brasília) de quinta-feira, contra o São Bento, no Pacaembu, já que o gramado do Palestra Itália passa por reforma. Já o Botafogo, lanterna do grupo A com nenhum ponto somado, também joga na quinta-feira, às 19h30, visitando o Novorizontino.

O jogo – O time já não pôde contar com o recém-contratado zagueiro Edu Dracena e o centroavante Lucas Barrios, machucado, e Marcelo Oliveira resolveu fazer outra mudança na base campeã da Copa do Brasil. O técnico sacou Matheus Sales para escalar o volante Thiago Santos, mais marcador e alto do que o garoto. Mas não foi a mudança que atrapalhou o Palmeiras.

Com um minuto de partida, a equipe poderia ter aberto o placar. Gabriel Jesus arrancou em contra-ataque, saiu na frente do goleiro Neneca e, como já tinha feito na decisão da Copa do Brasil há menos de dois meses, chutou em cima do adversário, desperdiçando uma chance clara.

E demorou para o Verdão criar outra oportunidade. Apesar de tanta insistência de Marcelo Oliveira ao longo dos treinos, o time insistia em chutões, facilitando o trabalho do Botafogo. Jogadas pelo chão apenas em arrancadas de Dudu e Gabriel Jesus, e os adversários não se intimidavam em cometer faltas para a marcação ter sucesso.

Em meio a tantas disputas individuais, Robinho conseguiu fazer um lançamento nas costas da zaga e Alecsandro foi incapaz de chutar com força, apenas recuando para Neneca, aos 25 minutos. O centroavante era tão ineficiente que a torcida passou a gritar o nome de Cristaldo, que estava no banco.

Mas os palmeirenses não imaginavam que a partida poderia ficar pior. Cansado, o time recuou totalmente e passou os últimos 15 minutos do primeiro tempo praticamente dentro de sua área. O Botafogo passou a ter mais do que as provocações e discussões do centroavante Nunes, ex-centroavante, e Fernando Prass precisou trabalhar. Além de cortar diversos cruzamentos, o goleiro ainda evitou gol de Vitinho, aos 40.

Apesar da partida sem nenhuma inspiração, Marcelo Oliveira não fez alterações no intervalo. Foi mantida a sequência de passes errados dos dois times até que o Palmeiras, enfim, conseguiu tocar a bola no chão até Alecsandro encontrar Dudu na pequena área, e o camisa 7 bateu para fora, aos seis minutos.

O Palmeiras, contudo, ainda estava longe de controlar a partida e quase levou gol aos 12 minutos, quando Vitinho tentou surpreender Prass ao cobrar falta lateral direto na meta e o goleiro mostrou reflexo para espalmar. Mas, pouco depois, o Verdão conseguiu balançar as redes.

 

Aos 15 minutos, Fernando Prass deu mais um chutão e a bola sobrou na direita para Lucas. O lateral cruzou com precisão para Alecsandro subir sozinho, testando firme, para o chão. Neneca fez grande defesa, espalmando para o travessão. Mas o goleiro teve azar e viu a bola bater em sua mão, entrando no gol e abrindo o placar no estádio Santa Cruz.

Até o goleiro Fernando Prass atravessou o campo para cumprimentar o contestado centroavante. Alecsandro deu ânimo ao time e à torcida. Aos 20 minutos, Dudu deu um toque de letra para se livrar de dois marcadores, passando a bola entre as pernas do zagueiro Caio Ruan, e fez os palmeirenses vibrarem como se fosse gol.

O restante do segundo tempo ficou definido pelo cansaço dos times. Para garantir os três pontos e coibir as bolas aéreas do Botafogo, única arma ofensiva perigosa dos mandantes, Marcelo Oliveira ainda trocou o desgastado Thiago Santos pelo zagueiro Roger Carvalho. Mas quem definiu mesmo a vitória foi um lançamento preciso de Robinho, da intermediária defensiva, para Dudu fazer o gol aos 41 minutos.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-SP 0 X 2 PALMEIRAS

Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data: 31 de janeiro de 2016, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Público: 18.635 pagantes
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli (ambos de SP)
Cartões amarelos: César Gaúcho e Mirita (Botafogo-SP); Alecsandro e Robinho (Palmeiras)

Gols:
PALMEIRAS: Alecsandro, aos 15, e Dudu, aos 41 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO-SP: Neneca; Daniel Borges, Caio Ruan, Mirita e Augusto Ramos; César Gaúcho, Rodrigo Thiesen, Vitinho e Danilo Bueno (Paulinho); Diego Pituca (Serginho) e Nunes
Técnico: Marcelo Veiga

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Leandro Almeida, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio); Thiago Santos (Roger Carvalho), Arouca, Robinho, Dudu e Gabriel Jesus (Erik); Alecsandro
Técnico: Marcelo Oliveira