João Pessoa 19/06/2018 01:23Hs

Início » Esporte » Com tranquilidade, Flamengo vence Friburguense e garante volta ao G-4

Com tranquilidade, Flamengo vence Friburguense e garante volta ao G-4

Marcelo Cirino, com dois gols, e Gabriel, muito veloz, comandam a vitória; resultado manteve invencibilidade rubro-negra contra Frizão, que não vaza o Fla desde 2008

fla vence friDiante de um adversário frágil e tecnicamente pobre, o Flamengo teve poucos problemas no Engenhão para vencer o Friburguense por 2 a 0 diante de 7.916 torcedores – 6.145 pagantes, com renda de R$ 189.820. O resultado aumentou a supremacia rubro-negra no confronto que na tarde deste sábado registrou seu 36º jogo: são 32 vitórias e quatro empates. O Frizão, aliás, desde 2008 não consegue sequer um gol no rival – seis partidas desde então. Marcelo Cirino, duas vezes, foi o único que balançou a rede e, com seis gols, ultrapassou Fred, do Fluminense, na artilharia do Campeonato Carioca.

O Flamengo, agora com 17 pontos e provisoriamente na vice-liderança, volta a campo próxima na quarta-feira, às 22h (de Brasília), contra o Volta Redonda, no Maracanã. No dia seguinte, às 19h30, o Friburguense recebe o Madureira no Eduardo Guinle. Os dois gols fizeram o time do técnico Vanderlei Luxemburgo assumir o posto de melhor ataque, com 17. Somente uma improvável combinação de resultados tira o Fla do G-4 ao término da rodada.

O primeiro tempo foi fácil para o Flamengo, que dominou inteiramente o Friburguense, apesar de alguns sustos. Com um minuto, Mugni já obrigou Marcos a fazer ótima defesa. Aos seis, a abertura do placar. Pará, um dos destaques da etapa inicial, cruzou na medida para Marcelo chapar de esquerda. Gabriel, em ritmo alucinante pela esquerda, dificultou demais a vida dos experientes Sergio Gomes e Cadão, de 40 e 43 anos, respectivamente.

O baiano abusava da velocidade e, às vezes, até se precipitava no momento do passe final. Quando parou e pensou deu passe milimétrico para Marcelo avançar, ganhar no corpo de Sergio Gomes e bater alto, sem chances para Marcos. Mas a defesa flamenguista vacilou feio duas vezes. Caíque, com muita liberdade, carimbou o travessão logo aos três minutos. Ziquinha fez pior ao perder oportunidade cristalina, sem ninguém a sua frente, após bela jogada de Jorge Luiz.

Segundo tempo morno

O Flamengo voltou do intervalo dando mais uma amostra de que seu sistema ofensivo vivia uma tarde feliz. Aos três, Marcelo entregou a Pará, que levantou na área. Eduardo matou na direita, escorou de esquerda, e Cirino, numa bomba de canhota, acertou a trave. Grande jogada. O Frizão respondeu na mesma moeda: Pará rolou na entrada da área, e Léo surgiu com um tiro muito violento, que explodiu na baliza. Marcelo Cirino, queixando-se de dores musculares, deixou o campo aos 14 minutos. E a saída do melhor jogador da partida fez o Fla dar uma relaxada.

Depois, Gabriel deu lugar a Luiz Antonio. Assim, com Alecsandro, Jonas e Luiz, o Rubro-Negro perdeu mobilidade. Mais cadenciado, passou a criar menos, embora tenha levado perigo com Alecsandro e Luiz Antonio em dois lances isolados. No fim, o melhor lance do período: Jonas deu belo chapéu em Tufy e soltou a bomba, mas longe do alvo.

Wscom