João Pessoa 21/05/2018 20:36Hs

Início » Esporte » Douglas e Paulo André decidem de novo e Timão, sem Zizao, bate o Fla

Douglas e Paulo André decidem de novo e Timão, sem Zizao, bate o Fla

Outra vez com cruzamento do meia e gol do zagueiro, Corinthians vira sobre o Mengão, mas Tite não atende os pedidos da torcida pela estreia do chinês

O time que enfrenta o Corinthians tem de se preocupar em marcar o avanço dos volantes, a subida dos laterais, a velocidade de Sheik… Mas não pode, de maneira nenhuma, se esquecer de marcar a cobrança de escanteio de Douglas para Paulo André. Assim, já haviam saído gols contra Internacional e Atlético-MG neste Campeonato Brasileiro. Assim, no primeiro tempo do jogo contra o Flamengo, nesta quarta-feira, o cenário só não se repetiu porque Felipe fez grande defesa. Mas no segundo… Não teve jeito! A cobrança do camisa 10 e a cabeçada do 13 foram certeiras. Foi o segundo gol na vitória por 3 a 2, que levou o Corinthians aos 42 pontos, a três da sonhada “zona de conforto”, livre de riscos, e que permitirá à comissão técnica se dedicar ao que realmente importa: a preparação para o Mundial de Clubes.

Um gol que fez a torcida enlouquecer e pedir Zizao. O chinês, que ficou no banco pela terceira vez no Corinthians, mais uma vez, assistiu à partida sentado. Tite, antes do jogo, havia dito que esperava ter competência para dar a ele chance no momento certo. Mas não cedeu. Promoveu até as estreias do polivalente Chiquinho e do zagueiro Anderson Polga, e nada de Zizao.

Estreante que brilhou mesmo foi o do Flamengo. Recuperado de uma lesão na coxa esquerda, Renato Santos, com a camisa 83 às costas e impedido, abriu o placar no primeiro e homenageou a esposa, grávida de três meses.
Só que foi pouco brilho para toda uma nação rubro-negra. O time criou pouco durante os 90 minutos. Foi refém de bolas paradas, que além do gol de Renato, originou uma bola na trave de Wellington Bruno e um gol (dessa vez bem anulado) de Cleber Santana. Foi também após uma cobrança de escanteio, o toque de Adryan e a defesa de Cássio, que Liedson diminuiu no último lance do jogo. Sem nem sequer comemorar. Talvez porque não havia mais tempo para buscar o empate, ou talvez por respeito ao ex-clube. Respeito que gerou um abraço emocionado de Tite antes da partida começar.

O Mengão permanece com 35 pontos. Em tese, faltam dez para se livrar definitivamente do perigo do rebaixamento: três vitórias e um empate. Totalmente possível, mas será preciso jogar melhor.

As equipes voltam a campo no próximo sábado. O Corinthians vai ao Canindé, no jogo das 21h, enfrentar a Portuguesa. Enquanto o Mengão recebe o Cruzeiro, no Engenhão, às 18h30. Mais uma chance para ambos se aproximarem dos tão sonhados 45 pontos e se tranquilizarem na reta final.

Estreante impedido e com estrela

Cleber Santana já havia dito, antes da partida, que a alta rotatividade dos cinco homens de meio de campo poderia confundir o Corinthians, e que eles iriam se movimentar para se aproximarem de Vágner Love, único atacante em campo. Meias verdades… Foi mais comum ver Love sair da área para tentar se encontrar com a bola, do que algum jogador de meio dentro da área. Mas, de fato, a outra parte do plano deu certo. Com qualidade, Renato Abreu, o próprio Cleber, Ibson e Léo Moura dificultaram a transição do Timão da defesa para o ataque e conseguiram manter a posse de bola com os cariocas. A maior parte da primeira etapa se destacou por uma briga cheia de vontade no setor de meio, porém, com pouca criatividade.

Era tão difícil entrar na área que Renato Abreu resolveu usar uma de suas armas mais potentes. De longe, assustou com Cássio com um chute fortíssimo de pé esquerdo. O recurso dos donos da casa era a bola parada, que teve Douglas como protagonista. Primeiro, no escanteio, ele acertou a cabeça de Paulo André, mas Felipe fez grande defesa. Depois, em cobrança de falta, acertou o ângulo. E novamente estava lá o goleirão, ex-corintiano. Voou para espalmar e a bola ainda tocou a trave.

Bola parada. Típico feitiço que se vira contra o feiticeiro. O Fla, apesar do domínio do meio, tinha dificuldade para entrar na área. Ibson bateu falta de longe e Renato Santos, um dos quatro impedidos no lance, deu um golpe de MMA na bola para abrir o placar e homenagear o futuro bebê, ainda sem nome. Sua esposa está grávida de três meses.

O Corinthians tentou reagir com lances pelos lados, principalmente o esquerdo, com Romarinho, Douglas e Fábio Santos, mas esbarrou na falta de inspiração e na marcação de Wellington Silva, Amaral, e na ajuda de Ibson. Os times foram para o intervalo e deixaram o torcedor com a sensação de que, mais uma vez, não conseguiriam ver Zizao em ação.

Virada com a marca de Edenilson

Ritmo lento, lento… Os primeiros minutos do segundo tempo foram críticos. Nada de emocionante acontecia. E até as bolas paradas de Douglas, até então muito perigosas, perderam força. Retrato disso foi uma falta cobrada na intermediária que acertou os gandulas do Pacaembu. Os técnicos não mexeram nas equipes e o jogo, que já não havia sido grande coisa no primeiro tempo, ficou ainda pior.

Pior também ficou o ouvido do árbitro Fabricio Neves Correa. No fim do primeiro tempo foi Dorival Júnior quem reclamou a não marcação de algumas faltas. E depois que Edenilson foi derrubado por Welinton, Tite enlouqueceu e passou a disparar críticas no banco.

É que Fábio Santos estava atento. Numa partida fraca, a chance de algum erro ocorrer é sempre grande. E ocorreu. O lateral-esquerdo não perdoou vacilo de Wellington Silva, roubou a bola, invadiu a área e rolou para Edenilson, de carrinho, empatar. Foi seu primeiro gol com a camisa alvinegra. Festa na arquibancada! Se com o empate já era possível ouvir gritos por Zizao, eles ficaram ainda mais fortes depois que Paulo André virou. Um gol novo com cara velha. De cabeça, após escanteio cobrado por Douglas.

Dorival Júnior tentou reagir com Wellington Bruno e Adryan, mas ambos entraram fora de sintonia. Antes, o time vivia da cadência de jogadores experientes, mas já muito cansados. Com as mudanças, ganhou velocidade, mas perdeu a identidade na partida. E mal coletivamente, os erros individuais se multiplicaram e deram ao técnico adversário a chance de fazer experiências.

Tite colocou Chiquinho, Guilherme Andrade e Anderson Polga. Nada de Zizao! Sem o chinês, mas com o Sheik, o Timão ainda fez o terceiro. Em arrancada de Edenilson, dono do segundo tempo, o atacante, de volta após um efeito suspensivo, estufou as redes.

Ainda havia tempo para Liedson, aplaudido por parte da torcida corintiana quando entrou, fazer o seu gol. Pouco diante da apática atuação do Flamengo no segundo tempo.

Globo Esporte