João Pessoa 23/05/2018 05:11Hs

Início » Esporte » EUA conquistam Mundial de futebol feminino e Obama comemora A atacante

EUA conquistam Mundial de futebol feminino e Obama comemora A atacante

EUA VENECE FEMININOCom uma surpreendente goleada de 5 a 2 contra o Japão, as americanas conquistaram neste domingo (5) o campeonato mundial de futebol feminino disputado no Canadá. O destaque da impressionante vitória foi a atacante Carli Lloyd, eleita a melhor jogadora do torneio.

 A final foi disputada diante de arquibancadas lotadas no estádio de Vancouver, no Canadá, país anfitrião do torneio. Os Estados Unidos se vingaram da derrota que sofreram justamente para as japonesas na final do Mundial de 2011.

O presidente americano, Barack Obama, festejou a conquista com muitos elogios à equipe e, particularmente, a Lloyd, autora de três gols na final. Ele convidou a seleção feminina de futebol a visitar a Casa Branca e trazer o troféu da Copa do Mundo.

“Que vitória para a equipe dos Estados Unidos! Grande jogo de Carli Lloyd! O país está muito orgulhoso de todas vocês “, escreveu Obama en uma mensagem na sua conta na rede social Twitter @POTUS.

Além de Obama, a cantora Beyoncé também compartilhou sua alegria pela mesma rede social. Ela publicou um tuíte vestida com uma camiseta da seleção e vendo a partida pela televisão. O campeão de golfe Tiger Woods exaltou a conquista pelo Twitter dizendo estar “encantado” por ver as jogadores fazendo história.

Futebol feminino se populariza nos EUA

As reações pela vitória dos Estados Unidos também revelam o entusiasmo crescente do país com sua equipe feminina de futebol. A final foi acompanhada em todo o território americano, com grupos de torcedores se reunindo para acompanhar o jogo até em telões armados em estádios de beisebol. Milhões de pessoas acompanharam a final vestindo camisetas com as cores do país.

A vitória contra a Alemanha nas semifinais foi a terceira partida de futebol feminino mais vista no país, com mais de 8 milhões e 400 mil espectadores, apenas atrás das finais contra a China em 1999 e contra o Japão em 2011, de acordo com a Federação de Futebol dos Estados Unidos (US Soccer, na sigla em inglês).

Para muitos americanos, a final também foi uma oportunidade para continuar as celebrações do feriado de 4 de julho, data da Independência dos Estados Unidos.