João Pessoa 24/05/2018 12:02Hs

Início » Esporte » Felipe pega pênalti, González faz de cabeça e Fla vence o São Paulo: 1 a 0

Felipe pega pênalti, González faz de cabeça e Fla vence o São Paulo: 1 a 0

Time rubro-negro fica mais longe da zona de rebaixamento do Brasileiro. Luis Fabiano perde a sua terceira penalidade na competição

Depois de ver os times que estão na zona de rebaixamento se aproximarem, o Flamengo deu um grande alívio para a sua torcida neste domingo no Engenhão. Em jogo que Felipe defendeu um pênalti cobrado por Luis Fabiano e o zagueiro chileno González fez o seu primeiro gol com a camisa rubro-negra, o time carioca venceu o paulista, por 1 a 0, e ficou mais longe do Z-4 do Campeonato Brasileiro. Luis Fabiano desperdiçou o seu terceiro pênalti no Brasileirão e é o jogador que mais perdeu penalidades máximas na competição.

O resultado deixou o Fla com 40 pontos, em 13º lugar, e manteve o Tricolor na quarta colocação, com 55. A renda somou R$ 239.665 para um público pagante de 16.465 torcedores (21.631 presentes). Na 33ª rodada, o São Paulo enfrentará o Sport, na Ilha do Retiro, no Recife, no próximo sábado. Antes, vai a campo pela Copa Sul-Americana, contra a LDU de Loja, nesta quarta, no Morumbi.

– A gente vinha numa sequência muito boa (quatro vitórias consecutivas), mas a gente sabia que uma hora isso ia acontecer (derrota). Perdemos para uma equipe que é muito forte aqui dentro. Tivemos algumas falhas e não matamos na hora que tivemos a oportunidade – disse o são-paulino Lucas.

O Flamengo, por sua vez, só volta a jogar no dia 31, contra o Atlético-MG, no Independência, em Belo Horizonte.

– O time jogou bem, encaixou todas as linhas, e a importância do triunfo é que o time fica mais tranquilo quanto à zona do rebaixamento. Foi meu primeiro gol, estou muito feliz, mas feliz também pelo time – declarou o zagueiro Marcos González.

O jogo

A necessidade da vitória das duas equipes fez o jogo ser bem aberto. Logo aos dois minutos, o Rubro-Negro criou a sua primeira chance: Renato chutou da meia-lua, e Rogerio Ceni defendeu bem. A resposta tricolor veio em contra-ataque, aos três, quando Felipe voou para segurar um cruzamento da área feito por Osvaldo. Em seguida, o goleiro do Fla teve de se esticar para espalmar um chute de Luis Fabiano, que recebeu livre uma recuada mal feita por Amaral.

A equipe carioca apresentava falhas de marcação tanto no meio de campo, como no miolo de sua zaga, por onde Luis Fabiano recebeu vários lançamentos com certa liberdade. O time paulista tinha ótima movimentação ofensiva e chegava perigosamente à área adversária com frequência pelas duas pontas. No Flamengo, Vagner Love incomodava muito os zagueiros são-paulinos, mas pelos lados só o direito funcionava bem, quando Wellington Silva subia ao ataque.

Aos 15, Love fez boa jogada individual, bateu na entrada da área, mas a bola foi amortecida ao bater em Rafael Toloi e facilitou a defesa de Ceni. Dois minutos depois o São Paulo reclamou pênalti de Airton em Luis Fabiano, não marcado pelo árbitro Leandro Vuaden, que aos 23 deu a primeira parada técnica do Brasileiro. Num dos vacilos de marcação da zaga rubro-negra, Lucas teve a melhor chance de abrir o marcador para o Tricolor, mas diante de Felipe tocou muito mal na bola, jogando fora, aos 25.

Logo após Wellington Silva fazer boa jogada no ataque e chutar por cima do gol de Ceni, o lateral-direito rubro-negro tentou evitar que Denilson fizesse o gol e cometeu pênalti. Luis Fabiano bateu no canto esquerdo de Felipe, mas o goleiro do Fla fez grande defesa, transformando o camisa 9 são-paulino no maior perdedor de pênaltis do Brasileirão: ele não marcou em nenhuma das três penalidades que cobrou na competição. A defesa de Felipe levantou a torcida rubro-negra e o time ganhou força. Aos 35, Love penetrou bem na área pela esquerda e chutou forte, mas Ceni espalmou a escanteio.

Após se recuperar do baque de ter despediçado o pênalti, o São Paulo voltou a envolver a perdida defesa adversária, mas não chegava a concluir a gol. O que o Flamengo conseguiu, em forte chute de fora da área desferido por Wellington Silva, obrigando Rogério Ceni a fazer grande defesa em seu canto esquerdo.
Adryan entra e dá passe para o gol de González

Os dois times voltaram para a etapa final com substituições ocasionadas por problemas físicos: no Fla, Dorival Júnior teve de tirar Airton e mandou Ibson a campo, e Ney Franco foi obrigado a retirar Luis Fabiano e pôs Douglas. O São Paulo retornou encurralando o Flamengo, que mal conseguia sair de sua defesa. O ataque são-paulino, porém, padecia do mesmo defeito da primeira etapa: rondava a área rubro-negra, mas pouco arrematava a gol. O primeiro bom chute veio só aos 9, de Lucas, Felipe fez uma ponte e caiu no gramado com a bola gruadada ao corpo.

O time da casa só apareceu bem no ataque aos 11, em chute de Love que Ceni defendeu meio sem jeito. Logo depois, Dorival pôs Adryan no lugar de Wellington Bruno, que havia feito um bom primeiro tempo, mas andava sumido na segunda etapa. Não necessariamente pela substituição, o fato é que o time carioca melhorou e passou a ter mais presença no setor ofensivo, o que fez Ney Franco a fazer outra alteração, trocando Jadson por William José. Logo em seguida, Dorival mexeu novamente no ataque rubro-negro, com Hernane entrando no lugar de Liedson, que não fazia boa partida.

Adryan já havia errado duas jogadas seguidas, irritando a torcida do Fla, quando aos 26 bateu uma falta da esquerda na cabeça de González, que jogou a bola no canto direito de Ceni. O goleiro são-paulino ficou estático, vendo a comemoração rubro-negra: 1 a 0. O time carioca continuou mais perigoso e por pouco não fez o segundo aos 30, em cabeçada de Love, que passou à direita de Ceni e foi para fora. A equipe paulista lutava pelo empate, mas pouco ameaçava. Provavelmente pensando nisso, Ney Franco fez outra modificação na sua equipe, com Cícero substituindo Wellington.

Mas era o Fla o time mais perigoso em campo. Aos 38, Love tabelou com Adryan e chutou forte, à direita de Ceni, assustando o goleiro tricolor. O São Paulo não mostrava força para reagir e o Rubro-Negro, mesmo com suas conhecidas limitações, segurava o resultado sem muitos problemas, até que Felipe largou a bola na área e quase Cícero consegue se aproveitar, aos 46. Mas o goleiro foi salvo pela chegada de Wellington Silva. O jogador do São Paulo ficou no chão, reclamando falta, mas Vuaden deu tiro de meta e logo depois terminou o jogo, para festa da torcida rubro-negra.

Globo Esporte