João Pessoa 21/06/2018 23:21Hs

Início » Esporte » Luan desbanca Neymar e garante vitória da Ponte sobre o Santos

Luan desbanca Neymar e garante vitória da Ponte sobre o Santos

Craque santista sofre com a marcação adversária e tem atuação apagada, enquanto atacante da Macaca inferniza defesa do Peixe e garante o triunfo

O Santos correu atrás de um efeito suspensivo e conseguiu escalar Neymar contra a Ponte Preta, neste domingo, no Moisés Lucarelli, em Campinas, pela 32ª rodada do Brasileirão – ele havia sido suspenso por expulsão contra o Grêmio. Não adiantou. Quem foi ao estádio para ver o astro santista e da Seleção, acabou assistindo a uma grande atuação de Luan, que infernizou a zaga santista e marcou o gol que garantiu o triunfo da Macaca, por 1 a 0.
A vitória, aliás, poderia ter sido por mais gols. A Ponte criou para isso. Martelou o Santos o tempo todo e só não ampliou porque Rafael fez boas defesas. Foi o único santista que conseguiu se destacar no Majestoso.

A Ponte termina a rodada na 13ª posição, com 40 pontos, mantendo a distância de sete para a zona de rebaixamento, já que o Sport também venceu na rodada – 1 a 0 sobre o Atlético-GO. Já o Santos, com 42, é o 11º, e praticamente dá adeus ao sonho de voltar à Libertadores no ano que vem, já que ainda está a 13 pontos do São Paulo, o último colocado do G-4, mas a apenas seis rodadas do fim do Brasileirão. Tanto a Macaca quanto o Peixe estão bem perto de garantirem o fim do risco de rebaixamento.

O Santos volta a campo na próxima quinta-feira, quando recebe o Náutico. O jogo está marcado para a Vila Belmiro, mas o estádio ainda depende da liberação da CBF, pois está interditado para obras que possibilitem a entrada de ambulância no gramado – haverá uma vistória nesta segunda-feira. O Pacaembu é o plano B. No mesmo dia, a Macaca enfrenta o Cruzeiro, em Campinas. Ambos os jogos começam às 22h (de Brasília).

Blitz da Macaca

O placar de finalizações do primeiro tempo não deixa dúvidas: a Ponte foi muito superior ao Santos: foram dez conclusões da Macaca, contra nenhuma do Peixe. Um massacre. Logo aos 13 minutos, o gol. A bola veio cruzada da esquerda. Cicinho entrou livre para concluir à rede. Só que ele se atrapalhou na hora H e o que era para ser um chute virou passe. Luan, que vinha a seu lado, completou o serviço e colocou o time campineiro à frente.

O Santos não via a cor da bola, e Neymar não conseguia completar um drible. Não houve marcação individual sobre o craque santista. Ele era muito bem vigiado pelo jogador do setor em que estivesse: uma esperta estratégia do técnico Guto Ferreira, da Ponte, que temia abrir muitos espaços em sua equipe se deixasse alguém colado no camisa 11 do Peixe.

Com o principal jogador adversário sob controle, a Macaca tinha tranquilidade para empurrar os santistas para trás e criar chances. O Santos só não foi para o intervalo amargando uma derrota maior porque Rafael esteve atento. O goleiro santista salvou uma cabeçada firme de Kléber, aos 28, e um chute forte de Roger, aos 38.

Só deu Ponte

O segundo tempo foi mais amarrado. O Santos passou a ter um pouco mais a bola, sem, no entanto, chegar ao gol da Ponte. Parece surreal, mas a equipe que tem o melhor atacante do Brasil seguia zerada nas finalizações. A Macaca, por outro lado, já não chegava tanto, mas continuava mais perigosa: aos 15, Nikão apareceu livre na área, mas foi travado por Rafael.

Diante da inoperância de seu time, sem dar um susto sequer no adversário, o técnico do Peixe, Muricy Ramalho, esbravejava à beira do campo. O meia Felipe Anderson era seu principal alvo. O jogador, que deveria ser o articulador de jogadas do time, corria demais com a bola e errava na hora do passe.

A Ponte, que não tinha nada com isso, continuava melhor. Tranquilos, marcando muito bem e saindo com consciência ao ataque, os jogadores do time campineiro cercavam o adversário. Aos 22, Luan recebeu da direita e acertou belo voleio. A bola explodiu no travessão. Seria um golaço, um prêmio ao melhor em campo. Faltou pouco.
O Santos só conseguiu levar perigo aos 28 minutos da etapa final numa jogada construída por Bernardo e André, que saíram do banco. O meia cobrou falta na cabeça do atacante, que mandou a bola a centímetros da trave direita. Foi a única finalização da equipe santista em toda a partida.

No fim, o 1 a 0 ficou barato para o Peixe. A Macaca fez por merecer um placar maior.

Globo EsporteA